Pinto da Costa foi reeleito presidente do clube para o quadriénio 2020/2024, com 68,65% dos votos. Nas primeiras eleições desde 1991 com mais do que uma candidatura, o mais antigo e titulado dirigente do futebol mundial no ativo, que chegou ao poder em 17 de abril de 1982, renovou o seu mandato presidencial por mais quatro anos, ao recolher mais votos do que José Fernando Rio, que obteve 26,44%, e do que Nuno Lobo, com 4,90%.

Matos Fernandes detalhou que a Lista A, encabeçada por Pinto da Costa, teve 5.247 votos, a C, de José Fernando Rio, recolheu 2.071, e a B, de Nuno Lobo, 384. Houve ainda 488 votos em branco e 156 nulos.

O processo eleitoral arrancou no sábado e terminou hoje no Dragão Arena, num modelo elaborado para evitar a acumulação de associados devido à pandemia de covid-19, naquela que foi a segunda maior votação de sempre dos azuis e brancos: 8.480 votos. Mais, só em 1988, com 10.780. Será o 15.º mandato de Pinto da Costa à frente do destino dos dragões.

Questionado pelos jornalistas se estava contente com a reeleição, no exterior do Dragão Arena e em declarações ao Porto Canal, Pinto da Costa disse estar "muito contente pela forma como decorreu este acto eleitoral" e deixou uma palavra para aqueles que confiaram em si "num tempo que não é fácil para ninguém".

"Tenho de agradecer aos 8.480 sócios que vieram votar. É sinal de que sentem e vivem diariamente o FC Porto. Num momento em que não é fácil para ninguém, vieram dar-me um voto de confiança para as batalhas que se seguem. A única coisa que posso prometer é que vou pôr o interesse do Porto acima de tudo. Estou feliz por eles. Se confiam em mim, e se queriam que eu continuasse, assim farei", disse.

Pinto da Costa diz que no próximo jogo haverá "resposta cabal" à derrota na última jornada, mas que a equipa não precisa de incentivos para ganhar, pelo que as eleições em nada alteraram a motivação para conquistar os três pontos.

Outra questão colocada foi sobre a possibilidade deste ser o último mandato. "Só faço planos para três anos. Não faço para quatro. Não consigo prever nada", reiterou.

Sobre o futuro, o presidente reeleito adiantou que tem muitas prioridades. "O Centro de Estágio, manter a competitividade que as nossas equipas têm, fazer crescer a massa associativa, mantê-la o mais unida possível porque somos todos necessários". Nem que seja porque "ao fim de 38 anos, posso deitar-me de consciência tranquila, ciente de que fiz o máximo e o melhor pelo FC Porto".

Paralelamente, afirmou que renovou a equipa diretiva a pensar nos tempos vindouros. "Nomeei o Fernando Gomes para o futebol de formação — já hoje falámos sobre alterações que são necessárias para termos resultados ainda melhores", contou Pinto da Costa.

A primeira entrevista do presidente portista terá lugar amanhã no Porto Canal pelas 21h00.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.