Nesta que foi a primeira pausa de inverno da Premier League - daí o facto de ter sido feita história - jogam-se este fim-de-semana os restantes sete jogos da jornada vinte e seis. Relembrar que na semana passada a primeira metade desta jornada foi jogada, com a realização de três jogos, dando assim tempo de descanso a todas as equipas da liga inglesa, o que raramente acontece. Joga-se assim o início do fim do campeonato, já que entramos no último terço da Premier League 19/20.

Equipas perto da máxima força

Duas baixas de peso, algumas dúvidas, mas a esmagadora maioria dos jogadores estarão ao dispor de ambos os técnicos. No Leicester City é Wilfred Ndidi o grande ponto de interrogação. Com grandes probabilidades de ser uma baixa nas Raposas, Ndidi é um elemento imprescindível para Brendan Rodgers. O facto de não jogar, caso venha a acontecer, poderá mudar a estratégia de ambas as equipas e afetar todo o jogo. Já nos Lobos, a baixa não é novidade. Com uma lesão nos posteriores da coxa, Ruben Vinagre é ausência certa na equipa de Nuno Espírito Santo.

Uma possível dúvida que já foi desfeita  é a disponibilidade de Adama Traoré. Depois de recuperar de uma lesão no ombro, o espanhol, uma das sensações do campeonato até ao momento, poderá assim continuar a sua excelente prestação e rendimento na equipa de Espírito Santo.

Ryan Bennett, a única aquisição de janeiro do Leicester, está impedido de jogar já que veio emprestado, precisamente, do Wolves.

Curiosidades e factos

Sabemos que as equipas inglesas não estão habituadas a jogar à sexta-feira. O Wolves só jogou a este dia da semana apenas cinco vezes na Premier League - curiosamente, cinco jogos que não lhes trouxeram muita sorte. Contudo, no mês de Dezembro desta temporada, bateram o Manchester City precisamente a uma sexta-feira. Um bom presságio para os Wolves!?

Um dos jogadores que foi muitas vezes comparado, e inclusivamente dado como possível contratação do Manchester United, caso não conseguissem caso estes não conseguissem contratar Bruno Fernandes foi, James Maddison. Só esta época o internacional inglês, que se viu recentemente envolto em polémica após saída noturna no Dubai, é um de apenas três jogadores esta temporada a exceder o número cinquenta em ambas as categorias de remates e oportunidade criadas. A fazer-lhe companhia estão Kevin De Bruyne and Jack Grealish.

A equipa de Nuno Espírito Santo perdeu três dos últimos seis jogos a contar para a liga. Tantos quantos os que cedeu nas primeiras dezanove jornadas desta temporada. Uma estatística que poderia ser importante para avaliar a forma da equipa, não tivessem duas dessas derrotas terem sido, precisamente, frente ao Liverpool.

Falando em Liverpool, Lobos e Reds foram, até ao momento, as duas únicas equipas a marcar em todos os jogos caseiros. Não só a consistência com que marcam é importante, mas de onde o fazem é também algo interessante de realçar. Os Wolves lideram a Premier League nos golos conseguidos fora da grande área, com 20% do total dos seus tentos a surgirem precisamente de longa distância.

O Leicester está a fazer uma época de tal forma impressionante que, se vencer hoje, soma 52 pontos, precisamente a pontuação alcançada na edição anterior da Premier League.

Se o Wolves marcou em todos os jogos realizados no Molineux Stadium, o Leicester conseguiu apenas não conceder golos num dos últimos dez jogos realizados fora de casa.

Um dos jogadores em evidência de momento nos Foxes é Harvey Barnes. O médio inglês tem dado nas vistas, e a comprová-lo estão não só as consistentes exibições ao longo da época, como também os recente golos. Barnes facturou nos últimos três jogos a contar para o campeonato e é uma das armas de Brendan Rodgers para tentar quebrar a armada portuguesa de Nuno Espírito Santo.

A razão pela qual este pode ser o jogo do ano

A razão não é complexa, é apenas o resultado da fusão entre o facto de ambas as equipas terem uma produção de espectáculo e futebol de qualidade acima da média, e o facto de ambas as equipas estarem tranquilas na tabela, fisicamente descansadas e prontas para atacar os últimos doze jogos da época.

Do Leicester falámos aqui há muito pouco tempo. Caracterizá-mo-lo como o melhor de dois mundos. A capacidade de pressão e aproveitamento do erro adversário, e a belíssima construção de jogo e capacidade de gerir os ritmos e a posse de bola fazem lembrar o melhor de Liverpool e Manchester City. Uma equipa cheia, completa e que num dia bom poderá enfrentar, olhos nos olhos, qualquer adversário.

Do Wolverhampton já falámos há mais de um ano, mas a qualidade não se alterou em nada. Até porque se se encontram em nono lugar, estando apenas a um ponto de distância da sétima posição, alcançada na temporada passada, a apenas dois pontos de José Mourinho e do sexto lugar na geral.

Com ambas as equipas com um futebol ofensivo e atrativo, do Leicester poderá esperar-se domínio, do Wolves uma posição semelhante à que observamos quando joga contra um dos seis grandes, já que as Raposas se encontram em terceiro lugar na liga e produzem um futebol só comparável ao do  Liverpool e Manchester City.

A juntar à forma como as equipas habitualmente nos presenteiam com bons espetáculos temos a história recente dos encontros entre ambas. Os dois últimos jogos que colocaram frente a frente Wolves e Leicester em casa dos comandados de Nuno Espírito Santo, tal como o jogo de hoje, produziram sete golos cada, sendo que o resultado foi exactamente o mesmo em ambas as ocasiões, 4-3 a favor da armada portuguesa na Premier League.

Quanto ao Leicester, o seu melhor marcador e jogador referência não marca faz cinco jogos e isso é extremamente pouco habitual em Jamie Vardy. Assim sendo não nos surpreenderá que o internacional inglês venha a marcar e a acabar com o jejum, principalmente estando a fazer uma época - mais uma - de encher o olho.

Esta semana na Premier League

Como já referimos, a jornada vinte e seis foi repartida em dois fins-de-semana. Depois de se terem jogado três jogos dos quais não resultou nenhuma novidade, desta feita temos sete jogos que prometem trazer emoções e alterações na tabela classificativa. Além do jogo que falámos hoje aqui, temos um duelo de meio da tabela entre Southampton e Burnley e também um Chelsea vs. Manchester United que poderá igualmente vir a proporcionar um excelente espetáculo.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.