“A decisão de demitir Koeman talvez tenha acontecido de forma tardia. Se calhar deveria ter tomado essa decisão mais cedo, mas acho que ele merecia margem de confiança e tempo para recuperar a equipa. A responsabilidade dessa decisão é minha”, afirmou Joan Laporta, em conferência de imprensa, no centro de estágios do FC Barcelona, no dia da apresentação de Sergi Barjuan como o treinador interino da equipa.

Mesmo assim, o presidente do emblema catalão lembrou que Koeman chegou ao clube “num momento muito difícil” e que conquistou uma Taça do Rei de Espanha.

“Não durou mais no cargo porque os resultados assim o decidiram. A situação começou a ser insustentável e se assim continuasse poderíamos fugir aos objetivos propostos para esta época”, disse Laporta, acrescentado que o FC Barcelona pode ainda lutar pelo título espanhol.

Questionado sobre o nome Xavi Hernández, antigo jogador do clube, como sucessor de Koeman, o dirigente máximo dos ‘catalães’ explicou que o processo de escolha do novo treinador “tem de ser feito de forma ponderada e bem pensada”.

“Se fizéssemos tudo à pressa, não estaríamos a agir como profissionais. O Xavi está a evoluir muito bem na sua carreira de treinador e tenho referências muito boas dele. Aliás, falo com ele muitas vezes e sei perfeitamente qual a sua opinião sobre o que deve ser feito no clube”, referiu Laporta.

O FC Barcelona é adversário do Benfica no Grupo E da Liga dos Campeões, juntamente com Bayern Munique e Dínamo Kiev.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.