Segundo Putin, Rodchenkov, que está ao abrigo do programa de proteção de testemunhas nos Estados Unidos desde 2016, é “controlado” pelo FBI e outras agências e a presença naquele país “não é positiva”.

“É negativa [para a Rússia]. Significa que é controlado pelos serviços secretos norte-americanos. O que é que estão a fazer com ele? Estão a dar-lhe substâncias para que ele diga o que querem?”, questionou o líder russo.

Putin considerou ainda que Rodchenkov nunca devia ter sido nomeado para o laboratório russo, um cargo que lhe permitiu denunciar os vários casos de doping no desporto russo durante a investigação do Comité Olímpico Internacional (COI).

O antigo diretor explicou que foi instruído pelo ministro do Desporto para controlar a dosagem de esteroides a atletas russos de vários desportos, bem como falsificar resultados de testes através da troca de amostras ‘sujas’ por outras ‘limpas’.

Na opinião de Putin, a decisão do COI de confiar no depoimento de Rodchenkov “não faz sentido”, apontando o cientista como mentalmente instável.

Na semana passada, o COI proibiu a participação da Rússia nos Jogos de Inverno de PyeongChang2018, sendo que os atletas terão de participar sob a bandeira olímpica, condições que os russos aceitaram.

O governo russo sempre negou qualquer envolvimento com casos de doping, em particular durante as Olimpíadas de Sochi, refutando os casos e salientando tratar-se de um “escândalo a ser criado em torno do calendário politico doméstico”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.