“Alguém acredita que um jogador diz ao seu clube ‘agora não treino’ sem a cumplicidade de outro clube?”, questionou Watzke aos microfones da Sky Sports.

O dirigente admitiu conversações com representantes do FC Barcelona, considerando que “o respeito exige que um fale com o outro”, e lembrou que “há duas semanas” considerava o clube catalão “super sério”.

“O facto é que nos despedimos sem acordo e com uma grande distância de posições. De forma totalmente inesperada, [Dembélé] faltou ao treino no dia seguinte”, contou Watzke, falando de uma “coincidência temporal”.

Sem falar em valores, o dirigente insistiu na exigência: “O FC Barcelona pagará a soma que queremos. Querem um jogador que tem mais quatro anos de contrato. Acabaram de receber 222 milhões de euros [por Neymar] e nós mantemos as nossas exigências”.

Neste caso, se o FC Barcelona aceitar as condições, “a transferência ocorrerá imediatamente”.

Caso contrário, Dembélé “estará de regresso” em 01 de setembro, data em que encerra o mercado de transferências, embora tenha de “assumir as suas responsabilidades e pedir desculpa à equipa e ao clube”.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.