Este ano não há superestrelas disponíveis - não é difícil perceber que Anthony Davis e Brandon Ingram vão continuar nos Lakers e nos Pelicans, respetivamente -, pelo que não há muito buzz à volta da free agency. No entanto, um olhar mais atento ao mercado permite encontrar jogadores de valor sólido na liga e que podem ser a peça que falta a muitas equipas para subirem de nível. Outros nomes cabiam nesta lista (Bogdan Bogdanović, Montrezl Harrell, Danilo Gallinari, Goran Dragic ou Marc Gasol, só para citar alguns exemplos), mas escolhi sete.

Serge Ibaka

Toronto Raptors | extremo/poste | 2.13 metros | 31 anos | Unrestricted

NBA 2019/20: 15.4 pontos, 8.2 ressaltos, 1.4 assistências, 38.5% 3P

Carreira: 12.6 pontos, 7.4 ressaltos, 2.1 desarmes de lançamento, 36.0% 3P

Ibaka não é a ameaça defensiva dos melhores anos em Oklahoma City, mas o congolês naturalizado espanhol tornou-se um jogador muito completo com o avançar da carreira. Acabou de cumprir a sua melhor época no que diz respeito à produtividade ofensiva e afirmou-se em definitivo como um extremo/poste moderno, que encaixa no perfil do stretch four tão procurado na NBA dos dias de hoje. A possibilidade que oferece aos treinadores de ser utilizado nas posições 4 ou a 5 torna-o ainda mais valioso nesta era do small ball. Como já conquistou um título de campeão nos Raptors, pode privilegiar um contrato chorudo, mas qualquer candidato ao anel será melhor equipa se o contratar.

Fred VanVleet

Toronto Raptors | base | 1.85 metros | 26 anos | Unrestricted

NBA 2019/20: 17.6 pontos, 3.8 ressaltos, 6.6 assistências, 1.9 roubos de bola, 39.0% 3P

Carreira: 10.5 pontos, 2.6 ressaltos, 4.1 assistências, 1.0 roubos de bola, 39.3% 3P

"Steady Freddy" assume-o sem hesitar. Depois de ter sido campeão em Toronto, é altura de rechear a conta bancária. E agora está à espera que o telefone toque e a ensaiar a frase que Tom Cruise tornou célebre em "Jerry Maguire": "Show me the money!". Quem ligar sabe que, do outro lado da linha, está um base jovem e que acaba de assinar a sua melhor época da ainda curta carreira. Excelente lançador - 39.0% de eficácia nos triplos, esta época, mas acima de 44% em catch and shoot -, a melhorar na tomada de decisão após situações de pick&roll e um defensor acima da média, VanVleet é um dos free agents mais cobiçados desta classe. Vale a pena apostar nele.

Jerami Grant

Denver Nuggets | extremo/poste | 2.03 metros | 26 anos | Unrestricted

NBA 2019/20: 12.0 pontos, 3.5 ressaltos, 1.2 assistências, 38.9% 3P

Carreira: 9.3 pontos, 3.9 ressaltos, 1.1 assistências, 34.7% 3P

A versatilidade é a característica mais importante do basquetebol atual e é precisamente essa a mais-valia de Jerami Grant. No ataque, pode derivar para extremo, como fez na "bolha" de Orlando, ou até jogar a poste num cinco que aposte no small ball. Defensivamente tem a rapidez de pés para defender jogadores de todas as posições, debaixo do cesto ou na linha dos três pontos. E isso vale ouro. Apesar do historicamente baixo número de ressaltos que conquista, Grant é cada vez mais um eficaz lançador de três pontos e, se o seu defensor direto se comprometer com o "tiro" exterior, é capaz de meter o drible e fazer um daqueles afundanços que vai direto para os melhores momentos da carreira.

Joe Harris

Brooklyn Nets | base/extremo | 1.98 metros | 29 anos | Unrestricted

NBA 2019/20: 14.5 pontos, 4.3 ressaltos, 2.1 assistências, 42.4% 3P

Carreira: 10.4 pontos, 3.1 ressaltos, 1.6 assistências, 42.6% 3P

Joe Harris vem de três épocas consecutivas a lançar acima de 41.0% de 3 pontos - em 2018/19 foi mesmo o melhor triplista de toda a NBA com impressionantes 47.4% -, o que lhe dá o rótulo de "atirador" de excelência. E na NBA atual isso é um bem muito precioso. Mas o internacional pelos EUA é mais do que apenas um "atirador". Harris lança muito bem após passe, lança muito bem após saída de bloqueios, lança bem após drible, move-se bem sem bola e, se isso não fosse suficiente, também não compromete na defesa. Encaixa, portanto, em qualquer sistema. Para uma equipa já servida de estrelas para outras posições no cinco, "Joey Hoops" é um shooting guard perfeito.

Dāvis Bertāns

Washington Wizards | extremo/poste | 2.08 metros | 28 anos | Unrestricted

NBA 2019/20: 15.4 pontos, 4.5 ressaltos, 1.7 assistências, 42.4% 3P

Carreira: 8.0 pontos, 2.8 ressaltos, 1.1 assistências, 41.1% 3P

O letão abdicou de jogar na "bolha" de Orlando para não arriscar uma lesão, até porque os Wizards tinham chances quase nulas de se apurarem para os playoffs. E assim, Bertāns garantiu que a última imagem que a NBA tem dele é de um extremo/poste que lança de três pontos como poucos no planeta inteiro. É apenas o quarto jogador a lançar acima de 42.0% de três pontos com tanto volume numa época, a par de Steph Curry, Klay Thompson e Duncan Robinson. Com apenas 32 jogos como titular em quatro épocas na liga e um historial de lesões graves pré-NBA, o "Latvian Laser" sabe que esta é a altura de capitalizar financeiramente uma temporada em que tudo lhe correu de feição.

Christian Wood

Detroit Pistons | extremo/poste | 25 anos | Unrestricted

NBA 2019/20: 13.1 pontos, 6.3 ressaltos, 1.0 assistências, 38.6% 3P

Carreira: 9.5 pontos, 4.8 ressaltos, 0.6 assistências, 36.8% 3P

A carreira de Wood conta com passagens por cinco equipas em quatro temporadas (76ers, Hornets, Bucks, Pelicans e Pistons), mas foi em Detroit que confirmou algum do potencial que lhe era apontado na universidade de UNLV, jogando de forma consistente em 62 partidas (do total de 113 que soma na carreira na NBA), sobretudo após a saída de Andre Drummond. Aí, e apesar da aposta dos Pistons em fazer tanking - que é como quem diz, "tirar o pé do acelerador" na época regular para não chegar aos playoffs e conseguir uma melhor posição no draft -, Woods assumiu o protagonismo e somou médias de 22.8 pontos, 9.9 ressaltos, 2.0 assistências e 1.0 desarmes de lançamento. O mais interessante no atleta natural da Califórnia é mesmo a evolução que parece registar no entendimento do jogo. Pode ser o steal desta pré-temporada.

Malik Beasley

Minnesota Timberwolves | base/extremo | 1.93 metros | 23 anos | Restricted

NBA 2019/20: 11.2 pontos, 2.7 ressaltos, 1.4 assistências, 38.8% 3P

Carreira: 8.2 pontos, 5.1 ressaltos, 1.9 assistências, 38.8% 3P

É o único restricted free agent (ou seja, pode ser obrigado a ficar na equipa com quem tinha contrato caso esta iguale a oferta que receber de outra equipa) da minha lista. Trocado a meio da última época para os Minnesota Timberwolves, Beasley assumiu mais protagonismo e, em 14 jogos, somou médias de 20.7 pontos, 5.1 ressaltos e 1.9 assistências, com uma eficácia de 42.6% nos lançamentos de três pontos. A amostra é curta, mas os sinais estão lá. Beasley pode ser uma máquina de fazer pontos e fisicamente tem todas as ferramentas para ser mais competente na defesa, ou não fosse a sua alcunha "The Mutant". Precisa de uma aposta de continuidade para mostrar mais consistência e, se os problemas fora do campo não o afetarem, pode explodir em 2020/21.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.