Raikkonen deu 134 voltas com o Alfa Romeo ao traçado de Barcelona, fazendo o melhor registo em 1.17,091 minutos, uma décima acima do tempo realizado pelo britânico Lewis Hamilton (Mercedes) na véspera, apesar de ter usado os pneus mais macios disponíveis, os C5.

Sergio Perez (Racing Point) foi o segundo mais rápido do dia, a 256 milésimos de segundo de Raikkonen, com 145 voltas realizadas.

O australiano Daniel Ricciardo (Renault) foi o terceiro mais rápido, mas já a 658 milésimos de segundo.

Este segundo dia de trabalho ficou marcado por um novo eixo duplo na direção apresentado pela Mercedes, que mereceu já críticas dos responsáveis da Red Bull, que o consideram “ilegal”.

Este sistema, o DAS, permite ao piloto modificar o ângulo de abertura das rodas (canvas) consoante seja reta ou curva com um simples toque no volante.

Hoje, os dois pilotos da equipa campeã do mundo limitaram-se a acumular voltas, simulando corridas. O campeão Lewis Hamilton foi apenas nono, a 1,296 segundos de Raikkonen, com o finlandês Valtteri Bottas a terminar na 13.ª e última posição, a 2,216 segundos do compatriota da Alfa Romeo. No entanto, os dois fizeram a simulação de corrida com os mesmos pneus duros e com um ritmo bastante alto. Hamilton rodou consistentemente em 1.19 minutos.

Hoje, o alemão Sebastian Vettel (Ferrari) já rodou com o seu novo SF1000 depois da indisposição da véspera, terminando como o sexto mais rápido, a 1,244 segundos.

O dia terminou 17 minutos mais cedo depois de um despiste de Raikkonen entre as curvas oito e nove do circuito catalão.

Na sexta-feira, os pilotos enfrentam o terceiro e último dia de testes desta primeira série.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.