“Vai ser um jogo difícil, é uma equipa organizada, com um treinador de qualidade, num dia em que poderá haver uma tempestade na Madeira, o que pode dificultar o jogo. Temos de nos preparar para um terreno diferente, como aconteceu com o Belenenses SAD. Preparámos o jogo da melhor maneira e vamos ser muito competitivos”, afirmou.

Em conferência de imprensa realizada no auditório Artur Agostinho, no Estádio José Alvalade, antes da partida da comitiva para a Madeira, Rúben Amorim apontou para um Sporting “igual ao que tem sido, com excelente atitude”, mas deixou elogios ao Nacional.

“Têm uma saída a três, com médios que jogam de diferentes formas e podem jogar com homens diferentes na frente. O Róchez pode jogar com o Riascos, o que muda completamente. Têm o Rúben Micael, o Camacho, dois laterais muito ofensivos e um ataque que até encaixa na nossa forma de defender. Muita atenção às bolas paradas, em que são muito fortes. Estamos à espera de um jogo de máxima dificuldade, mas estamos preparados para isso”, analisou.

O técnico dos ‘leões’, que anunciou que vai “acabar o quarto nível” de treinador em breve, voltou a realçar a importância do pensamento “jogo a jogo”, apesar dos quatro pontos de vantagem em relação aos perseguidores FC Porto e Benfica, aos quais afirma não estar atento.

“Temos muito trabalho no Sporting e não temos tempo para ver os rivais. Vemos passo a passo, vimos o Nacional. Se a equipa técnica estiver distraída com os jogos dos rivais, vamos ter problemas”, expressou, acrescentando: “O importante é a nossa equipa estar bem acordada amanhã [quinta-feira] para fazer um grande jogo. Só vemos verde”.

O mês de janeiro traz um ciclo exigente de encontros e Rúben Amorim quer “tentar adiar ao máximo” um possível desaire, apontando o foco para o triunfo em “todos os jogos”.

“No espaço de uma semana, temos dois jogos para o campeonato e, a meio, temos um da Taça, onde podemos comprometer tudo. Esse é o nosso foco, queremos ganhar todos os jogos, estamos preparados para isso e não nos podemos preparar para perder”, frisou.

Rúben Amorim sublinhou que os jogos que se aproximam diante de FC Porto e Benfica são “tão importantes” como os jogos com o Nacional e o Rio Ave, das próximas duas jornadas do campeonato: “Ganhámos ao Sporting de Braga, mas podemos perder os próximos jogos. Podemos ganhar ao segundo e terceiro e perder com os últimos classificados”.

O calendário leva a que se realizem menos treinos, mas, por outro lado, permite mais jogos e “mais oportunidades para os jogadores”, o que considera “perfeito” para a equipa, que se encontra praticamente na máxima força para o duelo com o Nacional, na quinta-feira, às 18:30, no Estádio da Madeira, com arbitragem de Manuel Mota, da associação de Braga.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.