Na sequência do primeiro golo apontado pelo médio Aurélien Tchouameni, aos 37 minutos, os jogadores monegascos falaram de imediato com o árbitro inglês Michael Oliver para revelar que tinham, aparentemente, sido alvo de insultos racistas por parte dos adeptos checos, enquanto festejavam o golo.

Contudo, após uma conversa entre os jogadores e a equipa de arbitragem, o ‘speaker’ do Estádio Letná dirigiu-se aos adeptos para apelar ao “espírito de jogo limpo”, alertando que, “no caso de reincidência de comportamento racista, a partida pode acabar antes do final”.

O jogo foi retomado, mas foi visível a indignação dos jogadores do Mónaco, que fizeram o segundo golo pelos pés do avançado Kevin Volland (59) e contaram com o português Gelson Martins entre os titulares.

Ao site do clube, o treinador monegasco, Niko Kovac, frisou que a sua equipa "ganhou em campo e contra o "racismo".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.