O vídeo-árbitro faz parte da equipa de arbitragem. Faz parte do jogo. Essa é a regra, já se sabe. Em caso de dúvida de quem julga dentro de campo é chamado a decidir e exerce o papel de juiz final. Torna-se, assim, decisivo, seja momentaneamente, seja, por consequência, no desfecho dos jogos. Foi o que sucedeu ao minuto 27 do jogo Sporting-Fiorentina, a contar para o Troféu dos Cinco Violinos, troféu que os leões conquistaram, vencendo o conjunto italiano por 1-0.

Podence, na área, trocou a bola do pé direito para o esquerdo e rematou em jeito, com Marco Sportielo, guarda-redes italiano, a desviar para canto. Na sequência Bas Bost coloca a bola no fundo das redes. O fiscal de linha do lado oposto dos bancos de suplentes levanta a bandeira. À primeira vista, estava anulado o lance. João Pinheiro, da Associação de Futebol de Braga, com dúvidas, recorre ao vídeo-árbitro ... pausa... e ... valida o golo. Os adeptos, que já se tinham sentado, levantam-se e celebram, ao retardador (e sem a mesma espontaneidade).

Tal como no jogo de apresentação dos leões frente ao Mónaco, a televisão entrou em campo. Hoje, no caso, com o elemento da equipa de arbitragem que estava na linha a anular e a televisão a validar, enquanto, na partida frente ao campeão francês, o pequeno ecrã anulou o que a equipa de arbitragem tinha validado inicialmente.

Desta vez, Jorge Jesus não recorreu ao sistema de três centrais, pela simples razão de que só um estava disponível – Tobias Figueiredo – o que obrigou ao recuo de William Carvalho. Que, diga-se a verdade, não comprometeu.

Em relação aos reforços leoninos, Battaglia parece estar a pegar de estaca; e Bruno Fernandes continua de pedra e cal no meio campo leonino, no lugar que era de Adrien Silva, que viria, a reocupar o espaço ao minuto 61, quando Jorge Jesus decidiu mudar seis jogadores de campo.

Um jogo especial para as claques de ambos os clubes

Sporting-Fiorentina foi um jogo especial. Não só porque se tratou do Troféu “Cinco Violinos”, mas também porque atrás destes dois clubes há uma forte relação entre os grupos de adeptos organizados de ambos os emblemas.

Há cidades geminadas. E há claques que têm entre si uma relação que as faz parecer quase siamesas. E esta é a história de 20 anos de amizade entre a Juventude Leonina e a Settebelo, segunda maior claque do clube italiano. Uma relação de 20 anos entre os adeptos leoninos e “Viola”, que se reforçou com a morte de Marco Ficini na madrugada que antecedeu o dérbi da época passada, a 22 de abril.

Outro dado interessante nesta relação entre adeptos e clubes foi a entrada de Matias Fernandez (69 minutos), médio chileno que já passou pelo Sporting e hoje enverga a camisola da formação de Florença, tendo recebido fortes aplausos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.