Tiago Monteiro disse ter-se sentido “num sonho” durante a volta de aquecimento mas, “depois, já parecia [que a última vez que pilotou] que tinha sido há duas ou três semanas”.

O italiano Kevin Ceccon foi o 14.º vencedor diferente desta temporada, com um Alfa Romeo, a única marca presente no campeonato que ainda não tinha vencido este ano.

Tiago Monteiro concluiu as 11 voltas ao traçado nipónico com o tempo de 26.50,083 minutos, a 7,816 segundos do vencedor, no 15.º posto entre os 23 pilotos que viram a bandeirada de xadrez.

“Estar de volta é um sentimento fantástico. Todo o fim de semana tem sido muito emotivo e excitante e estou a aproveitar cada momento”, comentou o piloto portuense.

Monteiro confessou que a volta de aquecimento foi “muito tensa e estranha”.

“Senti-me como que num sonho, como se não estivesse mesmo ali e, ao mesmo tempo, como [se a última vez] tivesse sido há duas ou três semanas. Foi surreal”, sublinhou.

No entanto, durante a corrida “tudo foi normal”: “Fiz a minha prova, para entender o carro, tentei puxar um pouco e divertir-me. E consegui, diverti-me bastante”, concluiu.

No domingo vão ser disputadas a outras duas corridas da ronda japonesa do WTCR, nona e penúltima etapa do campeonato, nas quais o português vai partir do 16.º lugar.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.