Rosicky, que se notabilizou ao serviço de Sparta Praga, Borussia Dortmund e Arsenal, atuava presentemente no clube checo, no qual se tinha formado e regressado na época passada, depois de uma década ao serviço dos ‘gunners’.

“Há boas hipóteses de continuar no Sparta Praga. Não conheço mal o futebol e tenho coisas para oferecer, veremos”, disse Rosicky, ainda sem revelar exatamente quais as funções que poderá assumir no clube da capital da República Checa.

Depois de cinco épocas no Borussia Dortmund, ao qual chegou em 2001, e de 10 no Arsenal, Rosicky, que somou 105 internacionalizações e 23 golos pela República Checa, voltou a ‘casa’ em 2016/17, mas não conseguiu jogar muito, devido a lesões.

“A minha carreira foi muito bonita, apesar das peripécias. Vivi momentos magníficos e outros muito negativos. Sou alguém que ama muito o futebol, que nunca joguei pela glória ou o dinheiro”, frisou, emocionado, Tomas Rosicky.

Eleito melhor jogador da República Checa em três ocasiões (2001, 2002 e 2006), o médio sagrou-se campeão checo por três vezes e venceu a ‘Bundesliga’ numa ocasião, tendo representado a sua seleção em quatro europeus e no Mundial de 2006.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.