Tiago Campos, a fazer a estreia olímpica, demorou 1:59.42 horas a cumprir a distância, a 11.08 minutos do vencedor, o alemão Florian Wellbrock, que bateu na luta pela medalha de ouro o húngaro Kristof Razovszky, segundo classificado, por 25 segundos, e o italiano Gregorio Paltrinieri, terceiro, por 27.

“A minha prova estava a ser muito boa até metade. Consegui recolocar-me, estava em 20.º e passei para 14.º na quarta volta. Depois, da quarta para a quinta, comecei a sentir-me mal. Por isso fiquei para trás, mas dei tudo o que tinha para conseguir acabar a prova”, explicou.

Segundo o nadador, passou uma volta inteira a sentir-se “muito mal” e pensou em desistir.

“Não sei onde arranjei forças para terminar a prova em 23.º. Não era o que eu esperava, mas foi uma vitória ter chegado onde cheguei. Poucas pessoas chegam”, atirou.

Agora, quer continuar a trabalhar “de cabeça erguida para que em Paris2024 esteja muito melhor e chegue a um melhor resultado”, mesmo que desta vez não tenha concluído “com tanta alegria” como desejava.

Ainda assim, está “realizado” com a estreia olímpica, uma “experiência muito boa”. “É incrível ver todos os nadadores na Aldeia Olímpica”, descreveu.

Na quarta-feira, Angélica André tinha sido 17.ª na corrida feminina, igualando o melhor resultado de sempre das águas abertas portuguesas, conseguido por Daniela Inácio em Sydney2000.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.