Para além de Yulia Chermoshanskaya, suspensa por dois anos após a reanálise das amostras recolhidas em 2008, que detetaram a presença dos esteroides estanozolol e turinabol, também os lançadores do peso Anna Omarova e Soslan Tsirikhov admitiram o uso de doping.

Anna Omarova e Soslan Tsirikhov admitiram o uso de substâncias proibidas após o controlo positivo das suas amostras de sangue colhidas nos Mundiais de atletismo de 2011 e 2013.

A confissão dos três atletas surge após cinco compatriotas terem reconhecido, pela primeira vez, a 19 de abril, o uso de doping, após a reanálise às amostras recolhidas em Londres2012 e nos Mundiais de 2013.

A coordenadora do gabinete de Luta Antidoping da Rusaf, Elena Ikonnikova, admitiu à agência AFP que outros atletas poderiam imitá-los na admissão de culpa, na esperança de que os seus futuros castigos possam ser reduzidas pela Federação Internacional de Atletismo (IAAF).

O atletismo russo foi banido das competições internacionais desde novembro de 2015, pelo escândalo generalizado de doping com envolvimento governamental, e assim ficará até novembro, falhando o Rio2016 e os Mundiais de Londres deste ano.

Elena Ikonnikova acredita que a admissão de culpa por parte dos atletas envolvidos no escândalo de doping, que resultou da reanálise das amostras com novos métodos científicos, poderá acelerar o processo de reintegração da Rusaf.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.