O processo foi aberto em junho de 2016, um mês depois de o jogador, residente nos Estados Unidos, ter escrito uma mensagem no Twitter, com a acusação a entender que as declarações foram ofensivas para o presidente Recep Tayyip Erdogan, segundo refere a agencia turca Anadolu.

Sem especificar o conteúdo da mensagem, o basquetebolista é acusado também de “formar parte de uma organização terrorista”, em alusão ao movimento por detrás dos incidentes na Turquia em julho de 2016.

Numa mensagem, já em 23 de maio deste ano, Kanter escreveu que Erdogan "encenou um falso golpe de estado", que lhe permitiu promover um "genocídio entre os seus opositores",

Kanter, que atua nos New York Knicks, após três épocas e meia nos Utah Jazz e duas e meia nos Oklahoma City Thunder, tinha declarado abertamente ser um seguidor do movimento que tem como líder o exilado turco Fethullah Gülen, fora do país desde 2013.

Uma situação que levou as autoridades turcas a enviarem à Interpol uma ordem de detenção para o basquetebolista e a anulação do seu passaporte.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.