“Nibali superou com sucesso uma operação osteossintética para reduzir a fratura do rádio do braço direito. A operação necessitou da aplicação de uma placa com parafusos, durando cerca de uma hora”, explicou a Trek-Segafredo, em comunicado.

A equipa não revelou se o tempo de recuperação inviabiliza a participação do ‘veterano’ de 36 anos na Volta a Itália, que arranca em 8 de maio, ainda que o próprio tenha dito, ainda na quarta-feira, que pretende fazer “o impossível” para conseguir lá chegar.

“Custa-me encontrar palavras para descrever a enorme dor que sinto. […] Começarei um caminho difícil para chegar ao Giro. Esse é o objetivo”, escreveu o trepador, na rede social Twitter.

Nibali, de resto, já venceu as três grandes Voltas: a Vuelta em 2010, o Giro em 2013 e 2016, e o Tour em 2014, entre outros triunfos de monta. Procurava este ano um terceiro na ‘sua’ ‘corsa rosa’.

Em 2020, acabou a corrida no sétimo lugar, numa edição em que estiveram em destaque vários dos novos valores do ciclismo, como João Almeida (Deceuninck-QuickStep), quarto, mas sobretudo o vencedor, o britânico Tao Geoghegan Hart (INEOS), e o segundo classificado, o australiano Jai Hindley (Sunweb).

A Volta a Itália de 2021 arranca em Turim em 08 de maio, correndo até ao final desse mês e até Milão.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.