Que também já tem 'guia de marcha' para casa é o português João Sousa, que desta vez se mostrou incapaz de passar uma ronda no grande torneio inglês, afastado que foi por um adversário teoricamente acessível - o alemão Dustin Brown é o 97.º e o português o 62.º, mas mesmo assim ganhou, com os parciais de 3-6, 7-6 (7-5), 6-4 e 6-4.

Brown, um especialista de relva (eliminou Nadal em 2015), será agora o adversário de Andy Murray, o 'menino querido' do All England Club.

No torneio feminino não houve surpresas, pelo que a nota do dia é mesmo o 'tombo' de Wawrinka, o número três mundial, ainda mais por ser às mãos do 'desconhecido' russo Daniil Medvedev (49.º), com os parciais de 6-4, 3-6, 6-4 e 6-1.

Há mais de três anos que Wawrinka - que hoje se queixou de dores no joelho - não era afastado na primeira ronda de um 'Grand Slam'.

Em plano totalmente diferente esteve Murray, o detentor do troféu, que vinha de um mau torneio de Queen's. Os números de 6-1, 6-4, 6-2 mostram bem que não se apoquentou com o 'lucky loser' cazaque Alexander Bublik (135.º).

Com Djokovic e Federer ainda por entrar em cena, o espanhol Rafael Nadal ombreou com Murray em termos de vitórias claras e rápidas: O campeão de Roland Garros 'varreu' do torneio o australiano John Millman (137.º), com os parciais de 6-1, 6-3 e 6-2.

Nadal já venceu por duas vezes em Wimbledon, mas isso foi em 2008 e 2010, antes de aperfeiçoar cada vez mais a sua especialização em terra batida, que lhe valeu este ano a 'Decima' em Roland Garros.

Na ausência de Serena Williams, que está grávida, e de Maria Sharapova, que alegou lesão, os holofotes do torneio feminino viram-se, em termos de antigas vencedoras, para a mais velha da irmãs Williams, Venus, cinco vezes campeã em Londres.

Aos 37 anos, o seu ténis já não é o que era mais deu para afastar a belga Elise Mertens (7-6 (9/7), 6-4). Afastou assim as dúvidas sobre a sua determinação, uma semana depois de ter estado envolvida num acidente de viação na Florida, de que resultou uma morte.

A letã Jelena Ostapenko, campeã de Roland Garros, também se qualificou - 6-0, 1-6, 6-3 à bielorrussa Aliaksandra Sasnovich. Pela segunda vez na segunda eliminatória em Wimbleson, vai agora defrontar a canadiana Francoise Abanda.

Quanto à checa Petra Kvitova, campeã em 2011 e 2014 - é a mais recente campeã, face à ausência de Serena -, avançou também para a segunda ronda, ao derrotar a sueca Johanna Larsson, em dois ‘sets’, com os parciais de 6-3 e 6-4.

Um bom arranque, para quem em dezembro passado foi esfaqueada na mão esquerda durante um assalto a sua casa e que esteve depois seis meses fora dos ‘courts’.

Nota ainda para a vitória da segunda cabeça de série, a romena Simone Halep, com 6-4 e 6-1 sobre a neozelandesa Marina Erakovic.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.