Porém, comparando com julho de 2019, período anterior à pandemia de covid-19, em julho deste ano os hóspedes registaram um decréscimo de 42,5% e as dormidas diminuíram 45%.

“Comparando ainda com julho de 2019, observa-se um crescimento de 6,4% nas dormidas de residentes e um decréscimo de 67,6% nas dormidas de não residentes”, indicam ainda os dados do INE relativos à atividade turística.

De acordo com o INE, as dormidas de residentes em julho registaram um “crescimento expressivo” nas regiões autónomas da Madeira e dos Açores e no Algarve.

Já entre janeiro e julho, considerando a generalidade dos meios de alojamento (estabelecimentos de alojamento turístico, campismo e colónias de férias e pousadas da juventude), registaram-se 5,8 milhões de hóspedes e 14,8 milhões de dormidas, correspondendo a quebras de 1,2% em ambos os casos, face ao mesmo período de 2020.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.