O ex-ministro das Finanças, Mário Centeno, foi hoje nomeado como novo governador do Banco de Portugal, sucedendo a Carlos Costa, cujo mandato terminou a 8 de julho, depois de dez anos no cargo. Centeno assume as novas funções já na próxima segunda-feira.

O anúncio foi feito aos jornalistas pela ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, após uma reunião do Conselho de Ministros, que começou às 9:30, no Palácio Nacional da Ajuda, em Lisboa.

No comunicado do Conselho de Ministros, divulgado pouco depois do começo das declarações, o governo diz apenas brevemente que "aprovou a resolução que designa, sob proposta do membro do Governo responsável pela área das finanças, Mário José Gomes de Freitas Centeno para o cargo de governador do Banco de Portugal".

O relatório da audição de Mário Centeno no âmbito da proposta de designação para governador do Banco de Portugal foi ontem aprovado pelos deputados com voto favorável do PS e a abstenção do PSD e do PCP.

A nomeação do governador do Banco de Portugal é feita por uma resolução do Conselho de Ministros, após indicação do ministro das Finanças.

Carlos Costa terminou em 8 de julho formalmente o segundo mandato como governador do Banco de Portugal, mas mantém-se em funções até à tomada de posse do sucessor.

O nome de Centeno não foi uma escolha pacífica. A oposição afirma que o ex-ministro socialista não tem condições para ocupar o cargo — e o deputado único da Iniciativa Liberal chegou mesmo a tentar uma providência cautelar para travar a nomeação: ação que foi rejeitada pelo tribunal.

Em 25 de junho, o Governo comunicou ao presidente da Assembleia da República a proposta de nomear o ex-ministro das Finanças Mário Centeno para governador.

A escolha de Centeno foi polémica pelo facto poder passar quase diretamente do ministério das Finanças (onde foi ministro até junho) para o Banco de Portugal e, em 9 de junho, foi mesmo aprovado no parlamento, na generalidade, um projeto do PAN que estabelecia um período de nojo de cinco anos entre o exercício de funções governativas na área das Finanças e o desempenho do cargo de governador.

Contudo, em 17 de junho, a esquerda parlamentar (PCP e BE, sendo já sabido que PS era contra) demarcou-se da intenção do PAN de estabelecer esse período de nojo e, em 25 de junho, o parlamento suspendeu por quatro semanas a apreciação na especialidade do projeto do PAN até chegar o parecer pedido ao BCE, no mesmo dia em que o executivo comunicou oficialmente a sua escolha.

No mesmo dia, o primeiro-ministro, António costa, escreveu ao presidente da Assembleia da República a comunicar a proposta do Governo para nomear o ex-ministro das Finanças Mário Centeno para o cargo de governador do Banco de Portugal.

Mário Centeno nasceu no Algarve em 1966 e licenciou-se em economia no ISEG, em Lisboa (onde chegou a professor catedrático). Depois de regressar de Harvard com um doutoramento, em 2000, ingressou no Banco de Portugal, no qual foi economista, diretor-adjunto do Departamento de Estudos Económicos e consultor da administração.

Entre novembro de 2015 e junho de 2020 foi ministro das Finanças dos dois governos PS liderados por António Costa. Foi eleito presidente do Eurogrupo, o grupo de ministros das Finanças da zona euro, e levou as contas públicas portuguesas ao primeiro saldo positivo em democracia, mais concretamente desde o ano de 1973.

Contudo, o seu percurso também foi feito de polémicas (em 2017, o caso das trocas de SMS com o gestor António Domingues, da Caixa Geral de Depósitos, o que originou uma comissão parlamentar de inquérito, e mais recentemente com o primeiro-ministro sobre a injeção de capital no Novo Banco) e a sua saída foi criticada por quadrantes políticos que o acusaram de abandonar o barco no meio da tempestade provocada pela covid-19.

*Com Lusa

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.