A redução resulta de um acordo estabelecido entre o município e a empresa Águas da Covilhã e visa reconhecer o papel "fundamental, único e inigualável" que as coletividades têm no desenvolvimento social, cultural, artístico e desportivo deste concelho do distrito de Castelo Branco.

"Queremos facilitar a vida às associações, às agremiações do nosso concelho", fundamentou o autarca, lembrando a "importância histórica" que o movimento associativo sempre teve e continua a ter.

Seguindo o mesmo objetivo, será criado um gabinete de apoio ao associativismo e haverá um reforço da verba global destinada ao apoio às coletividades, cuja dotação prevista para o próximo orçamento municipal é 500 mil euros, cerca do dobro do que até aqui era destinado às associações.

Além disso, atribuição dos subsídios e financiamentos passa a ter um conjunto de regras e critérios definidos em regulamento, documento que integra algumas propostas das associações e coletividades e que terá três linhas de apoio específicas, nomeadamente o apoio à atividade regular, o apoio ao investimento e aquisição de equipamento e o apoio a atividades de caráter supra concelhio.

A proposta de regulamento já está feita, vai ser apreciada em reunião do executivo, estará em discussão pública durante 30 dias e deverá entrar em vigor a partir de julho.

De acordo com os dados da autarquia, o concelho da Covilhã tem 248 associações registadas em diferentes áreas de atividade e o novo regulamento e medidas de apoio devem abranger cerca de 160.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.