Com o aumento da globalização faz cada vez mais sentido pensar num negócio a nível internacional. Quanto mais cedo se considerar essa estratégia, melhor — o mercado português pode revelar-se demasiado limitado para determinados nichos. Além disso, a corrente abertura de fronteiras, a cada vez maior existência de acordos comerciais bilaterais, as economias de escala que se podem aproveitar e a necessidade de diversificar o risco são também motivações fortes para a internacionalização. 

Não sendo um processo fácil e rápido, a expansão é possível e, se bem planeada e implementada, pode ser bem-sucedida. São vários os instrumentos à disposição para ajudar.

O primeiro passo a dar quando se planeia a criação de um negócio internacional passa pela busca de informação. São vários os cursos e webinars disponíveis para perceber melhor tudo o que será necessário. Já no dia 26 de janeiro pode participar no webinar de inscrição gratuita da Made of Lisboa.

Outro passo importante será o de contactar o AICEP Portugal Global, uma entidade publica que ajuda em vários dos passos necessários para um processo de internacionalização. Para além de informação relativa a outros webinars informativos, na sua página pode ainda encontrar informação relativa a eventos e ações de internacionalização tais como feiras internacionais, que podem servir como forma de entrada no mercado e, também, uma lista de vários apoios financeiros disponíveis para a internacionalização. 

A entidade disponibiliza ainda um Gestor de conta que melhor pode aconselhar no processo, passo a passo, e que, em articulação com a rede diplomática e consular, assegura presença em cerca de 80 mercados. Dá também acesso a Lojas da Exportação que disponibilizam apoio técnico às empresas exportadoras ou potencialmente exportadoras e à Rede Comercial Externa que permite a identificação de novos negócios, mercados e potenciais investidores no nosso país.

Também na Startup Portugal temos uma iniciativa especificamente para startups que queiram investir além-fronteiras. O programa Missions Abroad tem como objetivo promover estas empresas e talento português. Cada Missão tem o próprio mercado-alvo e objetivo. No passado, foram várias as startups a participar em feiras tecnológicas em vários países onde foi possível conectarem-se a investidores, incubadoras, potenciais parceiros e outros atores importantes no processo.

Para melhor identificar os mercados com maior potencial para cada setor/produto, pode também aceder ao iAPEX, uma ferramenta desenhada de forma a fornecer informação personalizada sobre os mercados de exportação e exportações mundiais.

Finalmente, outra forma de melhor aceder a um mercado estrangeiro é através de um financiamento conhecido como o Smart Money. Ou seja, encontrar investidores que garantam não apenas capital, mas também conhecimentos. Em Portugal, dentro deste grupo de investidores estão os business angels, normalmente atuais ou antigos empresários que, graças à sua experiência, podem complementar o capital investido com conhecimento técnico, informação especializada, visão estratégica, networking, relações com o mercado, etc.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.

Um artigo do parceiro

A Startup Portugal, responsável pela promoção da estratégia nacional para o empreendedorismo, desenvolve iniciativas próprias que suportam as startups desde a fase da ideia à fase de implementação e internacionalização. Agora, une-se ao SAPO24 e ao The Next Big Idea para trazer semanalmente uma série de artigos sobre tendências e notícias à volta do mundo das startups e não só.