Este ano, o prazo para a entrega da declaração de IRS foi mais amplo, de 01 de abril a 31 de maio, e foi igual para todos os contribuintes, independente do tipo de rendimentos (pensionistas, de trabalho, recibos verdes ou outros) e da entrega da declaração (na Internet ou no papel).

Outra alteração introduzida este ano foi o preenchimento automático da declaração para os pensionistas e trabalhadores por conta de outrem sem dependentes ou ascendentes a cargo.

Estes contribuintes podem optar pelo IRS Automático, que permite que a declaração seja entregue de forma simples e rápida, bastando a validação dos dados inseridos automaticamente, ou pela entrega da declaração também com informação já pré-preenchida mas que o contribuinte pode alterar.

De acordo com o Portal das Finanças, até às 00:55 do dia 30 de maio, tinham sido entregues 4.897.493 declarações de IRS, sendo que no ano passado foram submetidas 5.397.730 declarações nas duas fases de entrega então existentes.

Quanto a reembolsos, o ministro das Finanças disse no parlamento que até 15 de maio tinham sido reembolsados 1.200 milhões de euros no âmbito da campanha de IRS deste ano, um valor que disse corresponder a “mais do dobro do que no ano passado”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.