"São os dados que já conhecíamos. Como tivemos oportunidade de dizer várias vezes, é positivo, como é positivo ver que quem contribui de forma significativa para este crescimento económico são as empresas com o investimento que fazem e com as exportações", afirmou à agência Lusa Assunção Cristas, durante uma visita a uma escola de Lisboa, enquanto candidata à presidência da Câmara da capital, nas eleições de 01 de outubro.

A líder centrista argumentou que "investimento privado e exportações" é "a tal receita que nos dizeres do PS não iria funcionar", mas é "o que está neste momento a contribuir para um crescimento económico de 2,8%".

"Há falhas graves naquilo que eram as promessas socialistas ao nível do investimento público que, fruto dos cortes brutais que teve, se vê em muitíssimas áreas, com falhas significativas e a não contribuir para o crescimento económico", afirmou.

"Certamente que, para termos uma economia a funcionar bem, tem de ser uma economia com confiança e com os vários motores a contribuírem para o crescimento económico. Aquilo que esperamos é que este crescimento seja duradouro, se confirme, e nos permita olhar com mais confiança para o futuro do país", acrescentou.

O Instituto Nacional de Estatística (INE) confirmou hoje que a economia portuguesa cresceu 2,8% em termos homólogos e 1% em cadeia no primeiro trimestre deste ano, mantendo os números divulgados na estimativa rápida.

Desta forma, o INE confirmou que o desempenho homólogo do PIB no primeiro trimestre foi o mais positivo dos últimos 10 anos, já que iguala o crescimento verificado no último trimestre de 2007, período em que a economia portuguesa cresceu também 2,8%.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.