Segundo a informação hoje divulgada pelo gabinete de estatísticas comunitário, no primeiro trimestre deste ano, “em que as medidas de contenção da covid-19 começaram a ser amplamente introduzidas pelos Estados-membros”, a dívida pública da zona euro atingiu os 86,3% do PIB, percentagem que compara com 84,1% no trimestre anterior.

Verificou-se, porém, uma ligeira descida face ao período homólogo de 2019 (no qual este indicador atingiu 86,4% do PIB).

No conjunto da União Europeia (UE), também se registou uma subida na variação em cadeia, com a dívida pública a passar de 77,7% do PIB no trimestre anterior, o último de 2019, para 79,5% do PIB nos primeiros três meses de 2020.

Na comparação homóloga, também se verificou uma ligeira descida, dada a dívida pública de 80% do PIB no primeiro trimestre de 2019.

“Espera-se que os impactos das medidas de contenção, bem como as respostas políticas às medidas de contenção, só se materializem plenamente nas crescentes necessidades de financiamento no segundo trimestre de 2020″, ressalva o Eurostat.

Ainda assim, já no primeiro trimestre, Portugal é o terceiro Estado-membro com maior dívida pública, de 120% do PIB, só ficando atrás da Grécia (176,7%) e de Itália (137,6%).

Seguiram-se a Bélgica (104,4%) e a França (101,2%).

Em sentido inverso, a dívida pública mais baixa registou-se na Estónia (8,9%), Bulgária (20,3%) e Luxemburgo (22,3%).

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.