A transação foi alcançada através de dois acordos separados com a “Atacama Energy” e a “Lader Energy” por um valor total de até 31,2 milhões de euros (38 milhões de dólares dos Estados Unidos da América), dependendo da concretização de objetivos pré-definidos para cada projeto.

A carteira é composta por um parque eólico de 77 MW (megawatts) com um contrato de aquisição de energia (CAE) a 20 anos, que se espera que entre em operação em 2023; e 551 MW de projetos em desenvolvimento, incluindo dois eólicos com um total de 297 MW e um projeto solar de 254 MW, prevendo entrar em operação até 2025.

“Este portfólio permite à EDPR estabelecer a sua presença no Chile com um portfólio de dimensão, tecnologicamente diversificado e em diferentes fases de desenvolvimento, incluindo 77 MW de capacidade eólica já assegurada”, afirma a empresa em comunicado publicado na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

A empresa, que tem sede em Madrid, mas está cotada na bolsa de Lisboa, acrescenta que vai continuar a procurar “oportunidades adicionais de crescimento em eólica, solar e hidrogénio verde” no Chile, com o objetivo de participar ativamente na transição energética desse país.

A EDPR é uma empresa subsidiária e detida a 74,98% pelo Grupo EDP (Energias de Portugal), operando no domínio das energias renováveis.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.