Em comunicado, a Associação Têxtil e Vestuário de Portugal (ATP) refere que os 2.270 milhões de euros exportados nos primeiros cinco meses do ano representam um crescimento de 1% face ao mesmo período de 2018.

Até maio, as exportações de matérias têxteis cresceram 2,3% e as de vestuário evoluíram 0,8%, enquanto as exportações de têxteis-lar e outros produtos têxteis confecionados caíram 1,7% em termos homólogos.

“Dentro das matérias têxteis, destaque para o aumento das exportações de pastas, feltros e artigos de cordoaria (mais 14,7 milhões de euros, ou seja, mais 13%) e para as fibras sintéticas ou artificias descontínuas (acréscimo de 6,6 milhões de euros, correspondendo a mais 5,6%)”, lê-se no comunicado.

Em sentido inverso, as exportações de matérias-primas em algodão, incluindo fios e tecidos, diminuíram 7,6 milhões de euros (-10%) e as matérias-primas de lã, incluindo fios e tecidos, caíram 4,2 milhões de euros (-13%).

Já as exportações de vestuário em tecido aumentaram 18,9 milhões de euros (mais 4,7%), enquanto as de vestuário de malha diminuíram 8,2 milhões de euros (menos 0,9%).

No período em análise, o saldo da balança comercial de têxteis e vestuário foi de 409 milhões de euros, com uma taxa de cobertura de 122%.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.