Na quarta-feira, a Fitch já tinha descido o 'rating' da Rússia de 'BBB' para 'B', com perspetiva negativa.
Na avaliação publicada hoje, a agência refere que o 'rating' 'C' reflete a visão da Fitch "de que um 'default' soberano é iminente".

Os últimos desenvolvimentos "prejudicaram ainda mais a disposição da Rússia de pagar o serviço da dívida do Governo", afirma a Fitch.

A agência refere um decreto presidencial, de 05 de março, que pode forçar uma redenominação dos pagamentos da dívida soberana em moeda estrangeira para credores em países específicos.

De um modo mais geral, diz a Fitch, "a intensificação das sanções e as propostas que podem limitar o comércio de energia aumentam a probabilidade de uma resposta política da Rússia que inclua pelo menos o não pagamento seletivo das suas obrigações de dívida soberana".

A Rússia lançou na madrugada de 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que causou pelo menos 406 mortos e mais de 800 feridos entre a população civil e provocou a fuga de mais de dois milhões de pessoas para os países vizinhos, segundo os mais recentes dados da ONU.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas a Moscovo.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.