De acordo com os resultados comunicados à Comissão de Mercado de Valores e Mobiliários (CMVM), a Galp teve nos primeiros seis meses do ano um EBITDA (resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações) total de 892 milhões de euros, mais 262 milhões do que no período homólogo.

Segundo a empresa, de acordo com as Normas Internacionais de Relato Financeiro (IFRS), o resultado líquido foi de 243 milhões.

A produção total de petróleo e gás natural cresceu 60%, chegando aos 88,9 barris/dia, contra os 55,5 barris/dia do período homólogo.

As vendas de produtos petrolíferos a clientes diretos mantiveram-se nos 4,4 milhões de toneladas e as vendas de gás natural aumentaram para 3.733 mm3, reflexo do crescimento dos volumes vendidos a clientes diretos, "apesar das menores oportunidades de trading", refere um comunicado da empresa.

O investimento fixou-se nos 411 milhões - 89% foi aplicado aos projetos de exploração e produção -, uma queda de 35% relativamente ao período homólogo.

De acordo com a informação fornecida pela empresa, a dívida líquida (considerando o empréstimo à Sinopec como caixa) situava-se em 1.329 milhões de euros, menos 30% do que em período homólogo.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.