“A aprovação do quadro financeiro plurianual [2021-2027] será tão complicada como a quadratura do círculo, depois da saída de um país, de um contribuinte líquido [Reino Unido, em março de 2019], e ao mesmo tempo com o acréscimo de tarefas. É de facto um enorme desafio”, afirmou hoje a chefe do Governo alemão, em declarações aos jornalistas após um encontro com o primeiro-ministro, António Costa, em Lisboa.

Merkel ressalvou: “Enquanto União Europeia, temos de enfrentar esses desafios e, com um pouco de boa vontade, seremos bem-sucedidos”, declarou.

A chanceler alemã recordou que, no seu primeiro dia de visita a Portugal, visitou no Porto e em Braga “projetos que foram financiados com fundos europeus”.

“Um país como Portugal quer convergência com os Estados-membros da União Europeia. Temos interesse que haja essa convergência, porque caso contrário muitos dos benefícios, como livre circulação, são sempre postos à prova. Temos interesse no desenvolvimento comparável nos países”, comentou.

Angela Merkel falava ao lado de António Costa, em conferência de imprensa, no Palácio Foz, em Lisboa, após uma reunião bilateral, que encerra uma visita de dois dias da chanceler alemã em Portugal.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.