"A aquisição da Versace é uma etapa importante para o nosso grupo", disse o diretor executivo da Michael Kors, John Idol, num comunicado. "Estamos entusiasmados por ter a Versace na nossa família de marcas de luxo. Com os nossos recursos, acreditamos que a Versace ultrapassará os 2 mil milhões de dólares [cerca de 1,7 mil milhões de euros] em receitas", acrescenta o comunicado.

"É um momento muito emocionante para a Versace. Estou orgulhosa pela marca continuar a ser muito poderosa na moda e na cultura moderna", disse Donatella Versace, diretora artística e vice-presidente do grupo de mesmo nome. "Fazer parte deste grupo [Michael Kors] é essencial para o sucesso a longo prazo da Versace", continuou.

Segundo o diretor artístico da Michael Kors, Donatella Versace "continuará a liderar a visão criativa da empresa".

Fundada em 1978 pelo designer Gianni Versace e pelo seu irmão Santo, a Versace é um ícone da moda italiana com coleções de luxo e muito ousada. Após o assassinato do carismático Gianni, em 1997, a marca passou por anos difíceis e recuperou o seu prestígio graças a uma forte reorganização interna e ao talento da sua irmã Donatella. As vendas do grupo cresceram entre 2009 e 2017, passando de 268 milhões de euros para 668 milhões.

Michael Kors é uma marca de renome nos Estados Unidos e tem muitos seguidores entre as celebridades, tais como Michelle Obama, Catherine Zeta-Jones ou Nicole Kidman.

No ano passado, a Michael Kors comprou a Jimmy Choo, uma reconhecida marca de luxo de sapatos.

O grupo, que agora se vai passar a chamar Capri Holdings Limited, foi criado em 1981 por Michael Kors, de 59 anos, que ainda é o seu diretor criativo.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.