Numa nota datada de 20 de dezembro, hoje divulgada, a Moody's adianta que, além de reduzir a dívida líquida da elétrica, a venda das seis barragens vai financiar o programa de investimento da empresa e está integralmente de acordo com o seu plano estratégico para 2029-2020, apresentado em março deste ano.

Em relação ao perfil de risco da empresa, a Moody's refere que este deve registar uma melhoria modesta.

Em 19 de dezembro, a EDP anunciou que vendeu seis barragens em Portugal a um consórcio de investidores, formado pela Engie, Crédit Agricole Assurances e Mirova, por 2,2 mil milhões de euros, um negócio que deverá estar concretizado no segundo semestre de 2020.

“A EDP – Energias de Portugal, S.A. acordou a venda de um portefólio de seis centrais hídricas em Portugal ao consórcio de investidores formado pela Engie (participação de 40%), Crédit Agricole Assurances (35%) e Mirova - Grupo Natixis (25%), numa transação de 2,2 mil milhões de euros”, lê-se no comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.