O valor apurado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) ficou abaixo dos 3,3% registados no período homólogo, mas acima da meta do Governo para o conjunto do ano, de 1,5%.

Em comunicado, as Finanças sinalizam que a diminuição face ao período homólogo “reflete uma melhoria do saldo corrente, que passa de -2,2% para -0,8% (fruto do crescimento de receita de 3,4% e estabilização da despesa), e uma deterioração de 24% no saldo de capital (aumento de 12,5% na despesa e diminuição de 22,9% na receita)”.

“A estabilidade da despesa corrente é uma expressão clara da gestão rigorosa da execução orçamental”, indica.

De acordo com o ministério tutelado por Mário Centeno, a informação hoje publicada pelo INE corrobora assim “a dinâmica positiva que caracteriza a economia portuguesa, atualmente, e confirma uma tendência de diminuição do défice das contas públicas, compatível com as previsões apresentadas, quer no Orçamento do Estado para 2017, quer no Programa de Estabilidade 2017-2021”.

“Estes resultados estão em linha com o compromisso do Governo de fazer uma gestão criteriosa das contas públicas de modo a assegurar a sua sustentabilidade e a estimular o crescimento económico”, acrescenta a tutela.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.