Marcelo Rebelo de Sousa falava durante uma visita ao Mercado Social do Rato, em Lisboa, questionado sobre a notícia de que até outubro houve um excedente das administrações públicas de 998 milhões de euros, o que apontou como resultado de "uma gestão muito criteriosa".

Contudo, o chefe de Estado assinalou que o excedente hoje divulgado pelo Ministério das Finanças "ainda não compreende os meses finais" do ano e aconselhou: "Vamos esperar pelas despesas de novembro e dezembro, e vamos esperar por reflexos ou não, este ano, da necessidade de injeção financeira no sistema financeiro".

Interrogado se está preocupado com a situação no Montepio, respondeu: "Não, não é o Montepio. Se for, é no Novo Banco. Mas não sei se é este ano ou não. Vamos ver. De todo o modo, é um resultado excelente".

O Presidente da República referiu que novembro e dezembro "são meses de muita despesa, porque há acertos de contas nos últimos meses em vários dos sistemas e subsistemas", mas no seu entender pode vir a confirmar-se um excedente orçamental em 2019: "Pode acontecer".

"Eu cheguei a dizer, a certa altura, que estava convencido de que poderíamos ter excedente orçamental ou superavit este ano", lembrou.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.