No trimestre terminado em junho, as receitas de serviço ascenderam a 9.514 milhões de euros e as receitas totais progrediram 2,7% para 11.278 milhões de euros.

O grupo Vodafone salienta que as receitas de serviço na Alemanha recuaram 0,5%, “refletindo em grande parte o impacto da nova lei das telecomunicações” e que o crescimento na Europa foi “suportado pela aceleração” do aumento no Reino Unido.

O crescimento de 1,7% do serviço empresarial do grupo foi suportado por uma maior receita do ‘roaming’ e de serviços digitais.

As receitas na Turquia cresceram 35,8%, impulsionadas pela inflação elevada.

Em África, o crescimento foi suportado pelo aumento das receitas de dados e de serviços financeiros.

“Executámos em linha com as nossas expectativas, entregámos outro trimestre de crescimento tanto na Europa e África e assistimos uma aceleração no crescimento do negócio”, refere o presidente executivo, Nick Read, citado em comunicado.

Embora “não estejamos imunes aos atuais desafios macroeconómicos, estamos no caminho certo para entregar resultados financeiros” em linha com o esperado, acrescenta.

No comunicado, o grupo destaca ainda que mantém uma “boa dinâmica comercial” em Portugal, tendo adicionado 46.000 clientes de contrato móvel e 12.000 de banda larga fixa no trimestre em análise.

Em Espanha, a Vodafone faturou 988 milhões de euros no primeiro trimestre fiscal terminado em junho, menos 4% em termos homólogos.

A operadora salienta ainda que mais de 8.000 utilizadores empresariais registaram-se na sua plataforma de ferramentas digitais, lançada em março pelo Governo espanhol para canalizar os fundos de recuperação da União Europeia para pequenas e médias empresas (PME).

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.