No ano passado foram abertas mais 122 mil contas, para um total de 348 mil, referem os CTT, que apontam “o robusto crescimento dos depósitos de clientes para cerca de 884 milhões de euros (+42,8%) e o crescimento da carteira de crédito habitação para 238,4 milhões de euros (+172,4 milhões de euros do que em 2017 de carteira líquida de imparidades) e de produção de crédito ao consumo de 41,6 milhões de euros (+15%)”.

A integração da Payshop no banco, em janeiro do ano passado, contribuiu com 6,8 milhões de euros de rendimentos nas soluções de pagamento, uma subida de 3,7%.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), os CTT adiantam que o resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações (EBITDA) reportado do Banco CTT subiu 3,1% para 18,1 milhões de euros negativos, enquanto o recorrente diminuiu 15,8% para 17,3 milhões de euros negativos.

O lucro dos CTT recuou 28% no ano passado, face a 2017, para 19,6 milhões de euros, “influenciado pelas indemnizações pagas por rescisão de contratos de trabalho por mútuo acordo”, divulgou hoje a empresa.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.