“O transporte de gás começou” no sábado, declaram os responsáveis da empresa, citados pela agência noticiosa Agerpres.

Esta foi a primeira vez que a Roménia forneceu gás ao seu vizinho através do gasoduto que liga a cidade de Iasi à de Ungheni, do outro lado da fronteira.

Inaugurada em 2014 com o apoio financeiro da União Europeia, esta ligação de 43 quilómetros está dotada de uma capacidade teórica de 1,5 mil milhões de metros cúbicos por ano, o que basta opara as necessidades da Moldávia.

O gasoduto nunca tinha sido utilizado pela Moldávia, que só em 2019 acabou a ligação e 120 quilómetros para a capital, Chisinau.

Até ao início da invasão russa da Ucrânia era financeiramente mais vantajoso para esta ex-república soviética comprar o g+as à Federação Russa, que vendia abaixo dos preços praticados no mercado europeu.

Mas nos últimos meses, a Moldávia sofreu uma forte redução das entregas de gás russo, do qual dependia quase a 100%.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.