Os resultados definitivos da sessão indicam que o Dow Jones Industrial Average cedeu 1,35% (335,60 pontos), para as 24.610,91 unidades, mas o S&P500 avançou 1,42% (39,09), para as 2.712,92.

O Nasdaq, onde estão as principais empresas de tecnologia, perdeu 1,84% (137,74), para os 7.344,24 pontos.

Os investidores decidiram-se claramente em vender, perante as preocupações com a privacidade suscitadas pela notícia de que uma consultora manipulou com fins políticos informação de mais de 50 milhões de utilizadores da Facebook nos EUA.

A Facebook chegou a desvalorizar mais de 7%, mas recuperou ao anunciar que vai contratar uma auditora para investigar se a Cambridge Analytica, a consultora associada à campanha eleitoral de Donald Trump, que está no centro da polémica, mantém os dados que disse ter eliminado em 2015.

Esta empresa das redes sociais acabou por fechar a perder 6,76%, na que é a sua queda mais forte num único dia desde março de 2014, arrastando outras empresas do setor, como Alphabet (-3,03%), Amazon (-1,70%), Netflix (-1,56%), Twitter (-1,60%) ou Snapchat (-3,47%).

Os investidores estiveram a agir ainda em contexto de turbulência na Casa Branca, depois de o governo Trump ter despedido o subdiretor da polícia federal (FBI, na sigla em Inglês), Andrew McCabe, e de o próprio presidente ter criticado a investigação que o procurador especial, Robert Mueller, está a fazer à eventual interferência russa nas eleições presidenciais norte-americanas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.