"Acreditamos firmemente que a nossa adesão impulsionará as reformas económicas", afirmou o chefe de Estado timorense, citado num comunicado divulgado pela Presidência timorense.

José Ramos-Horta lidera a delegação de Timor-Leste que vai formalizar na segunda-feira o tratado de adesão à OMC, depois de a organização ter anunciado em janeiro a sua aprovação por consenso, após a conclusão da sétima reunião do Grupo de Trabalho.

Timor-Leste formalizou o seu pedido de adesão à OMC em 2016 e a primeira reunião do Grupo de Trabalho realizou-se em outubro de 2020.

Segundo o comunicado, na conferência ministerial da OMC, o Presidente timorense vai "enfatizar o compromisso de Timor-Leste em utilizar a adesão para melhorar as infraestruturas, o capital humano e a capacidade administrativa para acelerar o crescimento económico e a diversificação" da economia.

"A adesão de Timor-Leste à OMC marca um passo importante no sentido da liberalização do comércio, da integração na economia global e da facilitação do acesso aos mercados internacionais", salienta a Presidência timorense.

Dos Emirados Árabes Unidos, José Ramos-Horta seguirá para o Laos, onde vai realizar uma visita de Estado entre 27 de fevereiro e 03 de março para reforço da cooperação entre os dois países.

"Timor-Leste aprecia muito o apoio consistente do Laos à nossa candidatura à ASEAN [Associação das Nações do Sudeste Asiático] e pretende obter conhecimento da liderança experiente do Laos", que assumiu este ano a presidência rotativa da organização, disse o Presidente Ramos-Horta, citado no comunicado.

MSE // JMR

Lusa/Fim