“Tenho vinte e dois anos e fiz uma licenciatura na área da contabilidade, da gestão, uma coisa que me garante um ordenado, uma satisfação para os meus pais. Vim para Lisboa para isso, estudar. Aluguei um quarto, fiz um esforço para me manter à tona, estudei, não fui demasiado calão, não fiz muitas asneiras, acho que não é o meu perfil.

O meu sonho é ser actor, é quem eu sou, não sou o tipo que se licenciou e consegue perceber de impostos, sou também isso, claro, mas a minha essência é outra. Sou um actor e sou-o desde sempre, sinto que é quem sou. Vir para Lisboa estudar também era isso: uma possibilidade de conseguir chegar à formação de actor. Fiz uns workshops. Que não são baratos e cujos horários foram, muitas vezes, difíceis de compatibilizar com os calendários escolares, mas fiz e fui feliz a perceber melhor quem sou. Depois a licenciatura terminou e esta área tem um bom índice de empregabilidade e, portanto, comecei um estágio com uma remuneração que, limpa, não é superior a seiscentos euros. O estágio é considerado formação, por isso não posso abandonar a empresa onde estou durante dezoito meses. Dezoito meses são 547 dias, ou isso, se a conta não me falha. É uma vida inteira. Tenho 22 anos de idade, um ano é como uma década.

Com os horários que tenho, e com este ordenado, não consigo continuar a minha formação, consigo apenas sonhar em ser actor porque sonhar ainda é gratuito. Dizem-me que me deixe estar, a fazer contas e impostos, a seguir uma carreira e eu pergunto-me: sim, está bem, então vou fazer isto o resto da vida e não vou ser eu? É mais seguro. Dá dinheiro. Tenho emprego. O que é isso de ser actor, é quase como ser caracol e andar com a casa às contas a deitar as mãos à cabeça mensalmente, tenho trabalho, não tenho trabalho? Inscrevi-me em duas agências de actores, de pessoas que querem fazer coisas, mas não tenho o curriculum, só na área da contabilidade, e talvez não tenha o look, é preciso ter look. Não quero ser o Nuno Lopes, mas não era mau fazer o percurso do Nuno Lopes.

Como é que se começa a ser actor? Como é que se vai a castings? Como é que se tem sorte? Preciso de saber, porque preciso de ser eu e não mais uma pessoa infeliz com contas por pagar e com certezas que não chegam sequer aos mil euros, percebes?”

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.