Lisboa.

Eu e o [Diogo] Valsassina pegamos na caravana e certificamo-nos que está atestada. De cerveja na mão, eu, não ele que vai a conduzir. Uma entrevista vista há pouco é o primeiro tema de conversa. Moderada velocidade rumo à costa alentejana. [Ana] Guiomar, a namorada dele, ficou a tomar conta do cão mais famoso do país. Bonito, tão bonito que é, o caminho pela nacional. Mente quem disser o contrário. Da chegada é, à partida, expectável que seja encantador. Sal marinho, pé na areia e um pôr-do-sol sempre encantador. Midas parece que tocou em todas estas vilas e cidades. Calço os chinelos, visto os calções de banho e para ser mesmo feliz só tenho de juntar marisco e cerveja.

Sudoeste.

Passámos no festival para beber uns copos e tentar ver música, mas é coisa que lá não abunda. Grande regabofe, seja como for, e que resultou numa valente ressaca. Rolhas, caricas, copos e garrafas, nem as posso ver à frente dos olhos. De água é que eu preciso para ver se isto melhora, juntamente com uma sesta na areia a ouvir o mar. E mar, é ir e voltar logo, que a água gela os ossos e eriça os pelos. Vistos e revistos os sonhos, a ressaca passou e a caravana segue viagem.

Vilamoura.

Amanhã deixamos a beleza do Alentejo para trás e chegamos ao caldeirão de sexo, álcool e futilidade que para ali vai. Na volta, até dá para nos divertirmos, desde que não nos estiquemos no tempo de estadia. E noite, e dia, e noite, e já chega que não queremos os nossos cérebros a derreter. As prioridades de tanta gente ali são o ginásio e os likes, e isto é coisa que me cansa e consome o espírito, a ideia de estar numa praia onde sou o único que não é patrocinado por proteínas em forma de barra. De ferro oco, tantas são as cabeças que por ali vagueiam à toa e, por isso, sigo para casa dos meus avós para recuperar a sanidade.

Sugestões mais ou menos culturais que, no caso de não valerem a pena, vos permitem vir insultar-me e cobrar-me uma jola:

- Revenge of the 90s: Esta incrível festa está de volta e desta vez é hoje (sábado) em Vilamoura. Vou lá andar de roda no ar.

- Rogil: Que praia incrível na Costa Vicentina onde estive a escrever esta crónica.

- Bombeiros: Por todo o país, os bombeiros vão continuar a precisar de muita ajuda. Não deixem a onda de solidariedade passar e continuem a ajudar em força os vários quartéis.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.