A Wikipédia e o Google têm umas das parcerias de maior sucesso de sempre… e também das menos faladas. A Wikipédia foi fundada há 20 anos, sob os ideais de software livre de quaisquer interesses comerciais que pudessem comprometer a divulgação de informação em mais de 300 línguas, como a plataforma faz hoje.

Contudo mudam-se os tempos e mudam-se as vontades, e a verdade é que olhando para as principais tecnológicas atuais - Google, Facebook, Apple e Amazon - todas usam de algum modo a Wikipédia para melhorar produtos ou serviços que desenvolvem, sem gastar um único cêntimo:

  • Os assistentes virtuais Siri (Apple) e a Alexa (Amazon) são desenvolvidos com base nos dados presentes na Wikipedia para responderem às questões que milhões de utilizadores colocam no mundo inteiro.
  • O Facebook utiliza a Wikipédia como uma das plataformas de fact-checking para as potenciais fake news que são publicadas e difundidas na rede social.
  • Se pesquisar algo no Google, o mais provável é que um dos primeiros resultados que lhe apareça, seja um artigo da Wikipédia relacionado com o tema que procura saber mais. Adicionalmente, o Google também usa a plataforma para fazer fact-checking ao YouTube e às informações presentes nos seu Google Maps.

WaaS: Wikipedia as a Service

Segundo dados da Wikimedia Foundation, organização não-lucrativa responsável pela Wikipédia, o tráfego para a plataforma estagnou nos últimos anos. Para uma organização que depende de donativos isto é preocupante, dado que significa que não pode comunicar a mais pessoas aquela que é a sua principal e única “receita”.

Em 2021, a Wikimedia Foundation estima que cerca de 8 milhões de utilizadores irão fazer, em média, uma doação de 15 dólares (um total de 90 milhões de dólares) à Wikipédia. Para termos comparação, em 2019, a empresa tinha conseguido perto de 122 milhões de dólares em donativos. A pandemia e as dificuldades económicas de muitas famílias levam a que haja menos donativos, o que contribui para um cenário mais negativo para a plataforma. Daí surge a necessidade de diversificar as receitas e de esquecer um dos valores de base: “produtos com intuito comercial jamais”:

  • O potencial: a Wikipédia é o décimo terceiro site mais visitado da Internet inteira. Apesar dos milhões de pessoas que a utilizam para trabalhos escolares a lêem todos os dias, a plataforma rejeitou sempre lucrar com anúncios ou potenciais subscrições.
  • Como é que as Big Tech tiram proveito? Através de uma API (explicação powered by Wikipédia aqui), uma série de rotinas e padrões que um software/site estabelece para que outras entidades possam utilizar os seus dados, que é renovado de duas em duas semanas. O problema é que esta funcionalidade é pouco refinada por não ter uma equipa especializada na mesma, o que leva a que as empresas que decidam utilizar os dados da Wikipédia tenham de fazer um esforço adicional para a integrar nos seus serviços.
  • E assim chegamos à Wikimedia Entreprise API: um produto comercial desenvolvido pela recém-criada Wikimedia LLC, uma subsidiária com fins lucrativos, na qual fornece às empresas APIs personalizados consoante a utilização que queiram dar aos dados por si fornecidos. Curiosamente, este serviço SaaS já não vai estar alocado nos servidores da Wikimedia, mas sim na Amazon Web Services. É a chamada permuta de serviços.

Olhando para a frente: Para as empresas (como tudo) é uma questão de tempo e dinheiro - ou decidem receber os dados da Wikipédia “todos ao molho” de graça e organizam-nos por elas próprias depois, ou compram um produto onde estes já estão prontos a ser usados como desejam. Para os utilizadores, não muda nada e a Wikipédia vai continuar a depender em grande parte dos seus donativos e das suas pesquisas sobre a filmografia de atores de Hollywood.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.