Depois do Grande Júri ter filtrado as 82 candidaturas a concurso, a competir nesta fase final estiveram nove concorrentes, com seis projetos de startups - três portuguesas e três francesas - na categoria Startup e três iniciativas individuais para a categoria Academia. Para obterem esta distinção, os vencedores tiveram de fazer um pitch (uma apresentação) para "vender" a sua ideia e convencer o Grande Júri porque é que mereciam ganhar. O anúncio e atribuição do prémio esteve a cargo do Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor.

Empresa fundada em Portugal, a Fuel Save, vencedora na categoria Startup, é responsável por uma aplicação móvel que, "recorrendo a dados em tempo real e algoritmos de machine learning, permite dar instruções, também em tempo real e num formato semelhante ao das indicações de uma aplicação de navegação, aos condutores de camiões no sentido de melhorar a sua condução e, deste modo, poupar até 20% de combustível", refere a Altice em comunicado.

Este serviço está destinado a "empresas transportadoras", sendo que a sua tecnologia "recorre a telemetria também em tempo real, viabilizando as melhores recomendações de condução a condutor tendo em conta o seu contexto e as condições do momento".

Criada em 2018, a Fuel Save tem a sua tecnologia a ser utilizada por 20 camiões. A aplicação já tinha sido distinguida em julho pela fundação da petrolífera espanhola Repsol com um apoio até 144 mil euros durante um ano.

Já Vanessa Duarte sagrou-se vitoriosa na categoria Academia com a proposta “Towards 5G: Tb/s speed Telecom Payloads”. Procurando fazer "chegar Internet por fibra ótica a todos os lugares do mundo", a solução passa por incrementar o "desenvolvimento de uma nova geração de satélites de telecomunicações baseados em processadores muito poderosos, com vista a alcançar uma capacidade total superior a 1 Tb/s."

Vanessa Duarte, inscrita no programa doutoral em Engenharia Física na Universidade de Aveiro desde 2013, foi "responsável por peças chave do projeto, nomeadamente modelação do sistema e implementação do demonstrador final, assim como o desenho do processador fotónico, que é nuclear no sistema proposto".

Os prémios

Por terem vencido na categoria Startup, os autores do projeto Fuel Save vão receber um prémio de 50 mil euros, para além de poderem iniciar uma prova de conceito com o Grupo Altice num período entre os seis e os 12 meses. Vanessa Duarte leva para casa 25 mil euros, a recompensa na categoria Academia, e ainda o troféu Born from Knowledge, uma iniciativa da Agência Nacional de Inovação, recebendo um prémio de 5000 euros e uma obra artística.

Conheça os outros projetos a concurso e as suas ideias.

O júri desta edição, presidido por Alexandre Fonseca, CEO da Altice Portugal, era composto por várias personalidades ligadas ao setor empresarial, à inovação tecnologia e à academia, sendo eles:

  • Alexandre Fonseca, CEO da Altice Portugal;
  • Alcino Lavrador, Diretor da Altice Labs;
  • António Bob Santos, Administrador da Agência Nacional de Inovação (ANI);
  • Céline Abecassis-Moedas, Professora Associada nas áreas de Estratégia e Inovação e Diretora Académica do Centro de Inovação Tecnológica & Empreendedorismo da Universidade Católica Portuguesa;
  • François Vauthier, CFO da Altice France
  • Mirna Eusebio, SVP Product Management & Marketing da Altice USA
  • Paulo Jorge Ferreira, Reitor da Universidade de Aveiro;
  • Pedro Oliveira, Diretor da revista Exame Informática;
  • Simon Schaefer, Presidente da Startup Portugal;
  • Xavier Darche, Senior VP Engineering of Altice;

Na edição de 2017, os vencedores foram o projeto Neuropsycad na categoria academia e o QStamp® na secção startups. O primeiro, apresentado por Ricardo Maximiano, é um sistema assente em tecnologias de computação para providenciar um suporte ao diagnóstico de doenças neuropsiquiátricas ao comparar estatisticamente uma imagem biomédica do paciente com uma base de dados; já o segundo esteve a cargo da Mater Dynamics, sendo uma tecnologia que permite criar etiquetas inteligentes que usam processos químicos para identificar alterações em determinados parâmetros, como, por exemplo, a avaliação de bens alimentares a partir do controlo da humidade e da temperatura.

(O SAPO24 é a marca de informação do Portal SAPO, detido pela MEO - Serviços de Comunicações e Multimédia, S.A., propriedade da Altice Portugal)

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.