A iniciativa “News Integrity” tem um financiamento inicial de 14 milhões de dólares (13 milhões de euros) e vai estar sediada na Escola de Jornalismo da City University de Nova Iorque (CUNY), onde serão coordenados os projetos de investigação e eventos.

“Queremos ir para lá da discussão sobre notícias falsas e passar para o que considero ser um voo em direção à qualidade, diz Jeff Jarvis, que gere o centro para o empreendedorismo no Jornalismo da universidade, citado pela Business Insider.

As notícias falsas tornaram-se um tema de relevo durante a campanha presidencial norte-americana, tendo sido questionado o seu impacto no resultado das eleições em que o republicano Donald Trump saiu vitorioso, derrotando a democrata Hillary Clinton.

O projeto “News Integrity” vai unir 19 organizações e indivíduos de todo o mundo, cuja lista pode consultar aqui

“Acho que podemos ensinar muito às plataformas sobre jornalismo e responsabilidade pública. E penso que as plataformas podem ensinar-nos muito sobre como reconfigurar o nosso relacionamento com o público que servimos e como podemos, em conjunto, informar melhor. Porque esta discussão já não acontece somente num site, acontece em toda a internet”, explicou Jeff Jarvis, citado pelo Poynter.

Campbell Brown, responsável por parcerias de media para o Facebook vê nesta iniciativa a oportunidade de “dar às pessoas as ferramentas necessárias para discernir sobre a informação que encontram online. Melhorar a literacia mediática é uma preocupação global, e este grupo diverso traz experiência de todo o mundo para trabalhar no sentido de criar comunidades mais informadas”.

Jarvis, em entrevista à Poynter, já avançou com algumas ideias. Apesar de considerar fundamental um estudo alargado nesta área, o investigador avançou, por exemplo, com a possibilidade de as plataformas assinalarem quando uma publicação é ou não de confiança.

“Cabe a nós [jornalistas] ajudá-los [às plataformas] a definir o que é qualidade”, diz Jarvis para quem a crescente confiança nos media depende de dois fatores: quem produz informação e quem a distribui.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.