A decorrer no Instituto Politécnico de Leiria, este foi um dos 15 projetos contemplados com uma das Bolsas de Ignição financiadas pelo INOV C 2020, uma iniciativa com fundos do FEDER que pretende alavancar ideias de empreendedorismo e inovação a nível nacional.

Este projeto de investigação pretende adaptar a tecnologia 'biofeedback' ao tratamento de doentes de longa duração com sequelas funcionais de AVC, em ambiente domiciliar, refere uma nota de imprensa do INOV C 2020.

O objetivo da investigação, refere a mesma nota, é a "criação de uma interface gráfica, para computador ou 'tablet', com programas de exercícios destinados especificamente à reabilitação de pacientes que sofreram de um AVC".

"Um sistema de recolha, filtragem e amplificação do sinal eletromiográfico permitirá monitorizar os parâmetros do paciente em cada sessão realizada em casa. Os dados armazenados são posteriormente analisados pelos terapeutas e profissionais de saúde, de forma a acompanhar a evolução do paciente, alterar o tratamento ou prescrever novos exercícios", explica o comunicado.

Citada na nota, Marlene Rosa, fisioterapeuta doutorada em Tecnologias da Saúde e investigadora no IPLeiria, destacou que a "principal vantagem do projeto é a autonomia proporcionada aos pacientes crónicos na recuperação de um AVC".

"A reabilitação depende em parte dos serviços de saúde e os índices revelam-se baixos, dado que 70% dos pacientes mantêm sequelas físicas graves depois de quatro anos. Se o tratamento for realizado no domicílio, com constante acompanhamento do terapeuta, a reabilitação será mais eficaz e o profissional de saúde poderá assistir um maior número de pacientes", acrescentou.

Do projeto deverá resultar uma versão demo do programa de 'biofeedback' e a validação clínica do mesmo. "O 'biofeedback' é uma tecnologia que permite analisar parâmetros de atividade muscular, cuja aplicação se tem estendido a várias áreas da saúde".

A equipa do Politécnico de Leiria é constituída por Marlene Rosa, investigadora principal, e Augusto Pascoal, doutorado em Motricidade Humana. A Kinetikos é também colaboradora externa do projeto, responsável pela programação da interface gráfica.

As Bolsas de Ignição do programa INOV C 2020 foram atribuídas em julho de 2018 a 15 projetos de investigação científica com aplicabilidade comercial. Os projetos representam um investimento total de 150.000 euros, com um financiamento FEDER (Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional) máximo de 8.500 euros por cada bolsa.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.