A Nestlé e a Disney decidiram suspender a publicidade que fazem no YouTube por suspeitas de que a plataforma de partilha de vídeos da Google esteja a ser explorada por pedófilos.

A decisão surge depois da denúncia de Matt Watson, blogger que partilhou um vídeo de 20 minutos, que já conta com 1,9 milhões de visualizações, onde este denuncia o facto de a zona de comentários do YouTube em vídeos de raparigas a fazer ginástica ou yoga estar a ser utilizada por uma "rede de pedofilia 'soft'".

A questão não está nos vídeos, mas nos comentários deixados por alguns utilizadores que salientam momentos em que as raparigas estão em "posições comprometedoras", diz Watson.

Os anúncios que a plataforma tem associados a estes vídeos são de marcas de topo, como Nestlé ou a Disney.

Este escândalo é mais um revés na reputação do YouTube, que já viu empresas recuar, em anos anteriores, por receio de que os seus anúncios fossem mostrados ao lado de vídeos com conteúdo sensível, associando as suas marcas a conteúdos nos quais estas não se revêm e que são prejudiciais para a sua credibilidade.

Na sequência da denúncia de Matt Watson, a plataforma do Google decidiu "tomar ações imediatas, removendo contas e canais, denunciando atividades ilegais às autoridades e impedindo comentários em dezenas de milhões de vídeos que incluem menores", adiantou um porta-voz, citado pela CNN.

A empresa reconheceu que "há mais a ser feito" e assumiu o compromisso de continuar a trabalhar para identificar e agir sobre situações de abuso mais rapidamente.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.