A empresa começou a testar em março, no Brasil, 'tweets' que desaparecem após 24 horas.

As frotas (fleets) foram criadas pela natureza permanente dos tweets normais.

“Não temos verificado um aumento na quantidade de novas pessoas a juntarem-se à conversa com as frotas, como esperávamos”, disse hoje a empresa, num comunicado, onde anunciou que “a partir de 3 de agosto as frotas deixarão de estar disponíveis no Twitter”.

O chefe de produto de consumo no Twitter, Kayvon Beykpour, salientou que isto faz parte da forma como a empresa funciona.

“(Grandes) apostas são arriscadas e especulativas, por isso, por definição, algumas delas não funcionarão”, escreveu num 'tweet'.

As frotas assemelham-se às “histórias” do Instagram e do Facebook e aos instantâneos do Snapchat, que permitem aos utilizadores publicar fotografias e mensagens de curta duração.

Tais características são cada vez mais populares entre os utilizadores das redes sociais, à procura de grupos mais pequenos e de conversas mais privadas, mas as pessoas utilizam o Twitter de forma diferente do Facebook, Instagram ou aplicações de mensagens, sendo mais uma conversa pública e uma forma de se manterem atualizados.

Numa publicação a anunciar a decisão, o Twitter escreveu “lamentamos ou não tem de quê”, reconhecendo tacitamente as reações mistas dos utilizadores à funcionalidade.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.