'Old Town Road' é, desde o passado dia 29 de julho, o tema que está há mais tempo em primeiro lugar no top da Billboard Hot 100, nos Estados Unidos.

hit de Lil Nas X está na liderança da tabela norte-americana (uma referência para as restantes) há 19 semanas, tendo destronado, à 17.ª semana, os singles 'One Sweet Day' (de Mariah Carey e Boyz II Men, 1995-96) e 'Despacito' (Luis Fonsi, 2017) — recorda-se deles?

O sucesso de 'Old Town Road’ é o verdadeiro sonho americano e o seu fenómeno um dos mais interessantes da indústria (a da era do streaming) como hoje a conhecemos. Se a popularidade do rapper de Atlanta foi ganha no Twitter (muito através de uma conta que geria e onde idolatrava a rapper Nicki Minaj), a do sucesso que falamos teve a sua origem no SoundCloud, numa primeira fase, e na aplicação de vídeos Tik Tok mais tarde.

Tudo começou quando Lil Nas X (Montero Hill, nome de registo) comprou o beat de 'Old Town Road', por 30 dólares (cerca de 26 euros), ao produtor holandês YoungKio pelo Beatstars. Editado com a voz do jovem rapper (19 anos, na altura), e, aparentemente, contando a história de quem não quis ir para a faculdade para raiva dos pais, chegou agilmente à Internet, promovida através de uma série de memes e de um vídeo baseado no jogo "Red Dead Redemption II". Chegou também à já referida aplicação de vídeos chinesa através de um desafio, o "Yeehaw Challenge" (vídeos onde os fãs dançam simulando serem cowboys). Não havia como voltar atrás.

Numa publicação por ocasião do recorde atingido à 17ª. semana, Lil Nas X contou no Twitter, entre muitos emojis, como se deparou com esse beat. “Lembro-me de clicar em muitos sons genéricos à procura do certo para mim, quando, de repente, me deparei com uma obra-prima a soar a country-trap. Soube imediatamente que iria fazer algo especial com aquilo.”

[E, já agora, 'Old Town Road' soa-lhe familiar? É normal, uma vez que conta com um sample de '34 Ghosts IV', dos norte-americanos Nine Inch Nails. Por essa razão tanto Trent Reznor quanto Atticus Ross são creditados como co-autores de “Old Town Road”.]

Mas este é só um capítulo da história. Para fugir à forte concorrência do mercado hip-hop, Lil Nas X categorizou “Old Town Toad” como música country no SoundCloud. Foi assim que ela apareceu pela primeira vez na Billboard, alcançando a 19.ª posição na tabela country no dia 16 de março deste ano. Tudo certo até aqui? Errado. Numa decisão considerada polémica (pelo tribunal das redes sociais, sobretudo), a revista decidiu excluir a canção nas semanas seguintes, alegando ter-se enganado. Ela não tinha “elementos suficientes da música country de hoje”, argumentaram.

Por essa altura, Lil Nas X já tinha um contrato assinado com a Columbia Records, braço da major Sony. Nas X não se ficou e respondeu com uma versão da canção com a participação de nada mais nada menos do que Billy Ray Cyrus — que muitos conhecem como sendo o pai da cantora Miley Cyrus, mas a verdade é que a história da música country dos anos 90 não se escreveu sem o seu nome.

"Quando fui expulso das tabelas, Waylon Jennings [músico country] disse-me: ‘Leva isso como um elogio’. Significa que estás a fazer algo grandioso! Apenas os ‘fora-da-lei' são banidos. Bem-vindo ao clube!”, disse Billy Ray no Twitter, numa publicação onde identificava Lil Nas. E este terá sido o ponto de partida para a colaboração, com todos os elementos country.

A versão foi lançada no dia 5 de abril e logo na primeira semana já liderava a “Hot 100” da “Billboard”, aquela que engloba todos os géneros musicais — e nunca mais saiu de lá. Desde então, três outras versões oficiais da canção entraram nas plataformas de streaming: uma com o DJ e produtor Diplo, outra com o rapper Young Thug, que recentemente esteve por palcos nacionais no Sumol Summer Fest, e a terceira com RM, líder de uma das maiores boysband do momento, os sul-coreanos BTS. Para além destas, outros artistas como Blondie ou Becky Hill fizeram as suas versões do tema (há ainda, como não podia faltar, uma versão funk, pelos brasileiros MC Jottapê e MC M10).

Mas o que é isso, afinal, de country-trap, género musical com o qual o tema se identifica e que deriva de um parente próximo, o country-rap. À partida é fácil perceber, mas é algo mais que os dois géneros juntos (recorde-se que Lil Nas X é oriundo da cidade considerada berço do trap, Atlanta). No entanto, não foi Lil Nas X quem inventou o termo, ou é sequer pioneiro dentro da sonoridade.

O country-rap é fruto de uma América — a urbana e rural; estados do norte e do sul — de mãos dadas; apesar de, no início, poder fazer alguma confusão ter negros a cantar música considerada de brancos e vice-versa. É preciso recuar ao final dos anos 70 e início dos 80, a outros termos que também o nomeiam (como hill hop, hip hopry ou country hop-hop), a referências que vão do blues ao ska, e a alguns artistas sulistas que preferiam os temas mais falados que cantados.

O tema dos Bellamy Brothers, dupla country, entitulado 'Country Rap' (1987), é considerado um dos pioreiros. Outros temas seguiram-se e popularizam o género, como 'Ugly' (2001), de Bubba Sparxxx, com produção de Timbaland e participação de Missy Elliot, ou a versão de 'Another Day, Another Dollar', do músico country Wynn Stewart, pelos Nappy Roots. O género voltou à ribalta nos últimos anos, especialmente entre os mais novos, com o lançamento de 'Beautiful Thugger Girls', mixtape editada por Young Thug, em 2017, ou com a parceria entre Lil Tracy e Lil Uzi Vert em 'Like A Farmer (Remix)', em 2018.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.