O Centro do Mediterrâneo da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN na sigla em inglês) baseia-se nos dados da Lista Vermelha dos antozoários, ou "animais-flores" (compostos por pólipos com a aparência de flores), elaborada pela instituição para chamar a atenção para a situação destas espécies.

O relatório revela que 17 espécies de antozoários estão ameaçadas de extinção no mar Mediterrâneo e, entre estas, duas são originárias da região e algumas são endémicas, só existem no Mediterrâneo.

O grupo de antozoários inclui cerca de 212 espécies de vários tipos de coral, assim como anémonas.

A IUCN realça a falta de conhecimento acerca destas espécies no Mediterrâneo já que, no total de 142 analisadas, sobre 69 há informação insuficiente sobre distribuição, dimensão da população ou principais ameaças, e os investigadores não conseguiram avaliar o seu estado de conservação.

"As florestas de gorgónias [corais moles] e de coral negro são das comunidades marinhas mais emblemáticas do Mediterrâneo", tanto nas águas superficiais como nas profundas, devido à sua elevada diversidade e complexidade, refere Marzia Bo da Universita degli Studi di Genova, citada num comunicado divulgado pela IUCN.

A investigadora acrescenta que a conservação daquelas florestas "é crucial" para a manter a biodiversidade nas áreas que ocupam.

Vários corais e outras espécies de antozoários desempenham um papel decisivo como 'bio-construtores' já que criam habitats que funcionam como proteção de vários outros organismos e os especialistas apontam o exemplo das colónias de coral negro do Mediterrâneo que vivem mais de 2.000 anos.

Estas espécies estão a ser afetadas pelos estragos provocados por práticas de pesca insustentáveis, mas também pela subida da temperatura do mar, pela poluição e pela presença de espécies exóticas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.