Teresa Bizarro, assessora do ministro da Cultura, adiantou que, após o acidente, uma primeira avaliação concluiu que os "danos são de fácil reparação".

Segundo a mesma responsável, o acidente ocorreu quando um turista brasileiro que visitava aquele espaço quis tirar uma fotografia a uma outra peça e ao recuar, para fotografar, embateu de costas no suporte da estátua São Miguel, fazendo a peça de madeira tombar no chão.

Um dos vigilantes do museu terá ainda avisado o turista para não recuar mais, mas este não o ouviu a tempo.

A assessora admitiu que, nos próximos dias, a direção do museu irá analisar o caso com maior profundidade, podendo inclusivamente escolher outro local para expor a estátua.

Teresa Bizarro assegurou que este acidente "não tem nada a ver" com o alerta lançado, em setembro, pelo diretor do Museu Nacional de Arte Antiga, António Filipe Pimentel, que avisou que "um destes dias há uma calamidade no museu" porque se anda a "brincar ao património", afirmando que as tutelas dispõem de toda a informação cabal.

O alerta sobre as condições do Museu Nacional de Arte Antiga (MNAA) foi deixado na Escola de Quadros do CDS-PP, que decorreu em Peniche, durante um painel intitulado "Qual a importância económica da cultura?", no qual participou o diretor do museu juntamente com Pedro Mexia, consultor para a área cultural do Presidente da República.

A notícia da destruição parcial da estátua foi avançada pelo Expresso online que publica a fotografia de um visitante com a estátua de São Miguel tombada no chão do museu.

As entradas no Museu Nacional de Arte Antiga são gratuitas no primeiro domingo de cada mês.

Atualizado às 21h43: corrige no título, no primeiro, terceiro e oitavo parágrafos, o nome do santo, que é São Miguel e não São Gabriel.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.