Quinta-feira, 4 de março 

Lisboa Comedy Club 

Já conhece o Lisboa Comedy? É um espaço dedicado aos amantes da comédia inspirado nos clubes de Londres e Nova Iorque. Por lá poderá assistir a espetáculos de vários artistas, como Guilherme Duarte, Hugo Sousa, Ana Garcia Martins, Gilmário Vemba, entre outros, e ainda novos nomes do mundo da comédia. 

O espaço físico será aberto assim que for possível, de acordo com as normas da Direção-Geral de Saúde, mas por enquanto lançam um palco digital com um total de mais de 25 horas de vídeo já disponíveis de conteúdos de comédia. O valor irá depender do espetáculo a que quiser assistir. 

No espaço físico, além do palco, há também um restaurante e bar. Não sendo bem a mesma coisa, os responsáveis pelo clube querem levar um pouco da experiência até a sua casa. Como? Através da UberEats pode pedir um menu e como promoção de arranque a todos os pedidos superiores a 15€ será “oferecido” o acesso a um conteúdo de comédia na plataforma e uma garrafa miniatura do parceiro Famous Grouse. 

"Me and the Cult Leader" (2020)
créditos: Atsushi Sakahara

Sexta-feira, 5 de março 

No streaming

  • "2 Príncipes em Nova Iorque": O recém-coroado Rei Akeem (Eddie Murphy) de Zamunda e o seu amigo Semmi (Arsenio Hall) aventuram-se, uma vez mais, nos Estados Unidos, para encontrar o próximo herdeiro do trono. A sequela do filme "Um Príncipe em Nova Iorque" (1988) vai estrear na Amazon Prime pelas mãos do realizador Craig Brewer.
  • "Raya e o Último Dragão": Há muito tempo, no mundo de fantasia de Kumandra, humanos e dragões viviam juntos em harmonia. Mas, quando uma força maligna ameaçou a terra, os dragões sacrificaram-se para salvar a humanidade. Quinhentos anos depois, o mesmo mal regressou. Cabe a uma guerreira solitária, Raya, localizar o último dragão para recuperar a terra e o seu povo, divididos. Ao longo da viagem, vai aprender que será necessário mais do que um dragão para salvar o mundo. Realizado por Don Hall e Carlos López Estrada, poderá ver o mais recente filme de animação da Disney com o acesso premium do Disney+. Para os restantes assinantes de Disney+ o filme só estará disponível a 4 de junho, sem custos adicionais. Poderá consultar mais informação aqui.
  • "Sentinelle": Transferida para casa após uma missão de combate traumatizante, uma soldado (Olga Kurylenko) usa o seu treino letal para caçar o homem (Michel Nabokoff) que agrediu a sua irmã (Marilyn Lima). Este thriller de ação francês realizado por Julien Leclercq estreia na Netflix.

“O Silêncio e o Medo” – D. Maria II em Casa 

Num momento em que estamos todos confinados em casa, o teatro D. Maria II traz-lhe o teatro ao conforto do seu sofá. A cada sexta-feira, é estreada uma nova peça que passou recentemente pelo D. Maria II, ficando em exibição durante duas semanas. 

Esta sexta-feira estreia “O Silêncio e o Medo”, uma peça sobre a artista Nina Simone e as cicatrizes da História na sua vida que, segundo a programação, consistiu “numa travessia de 70 anos repleta de drama, que termina numa quase total solidão, em França, em 2003”. Carregando consigo “quatro séculos de história colonial”, o espetáculo de David Geselson é falado em francês e inglês, com legendas em português. 

Quando: Até 8 de março 

Quanto: Bilhetes a 3€

Doclisboa 2020: De onde venho, para onde vou 

Este é o terceiro momento da programação do DocLisboa 2020, que começou em outubro do ano passado. Intitulado de "De onde venho, para onde vou”, convocará filmes que se debatem sobre momentos chaves da vida captados pela câmara e que nos fazer perceber “quem somos e de onde vimos”. É uma reflexão sobre os caminhos que ainda estão por descobrir. 

Serão apresentadas obras de realizadores como Frederick Wiseman, Mohammad Malas, Paula Gaitán e Ulrike Ottinger, entre outros. Por exemplo, poderá ver “Me and the Cult Leader” (2020), de Atsushi Sakahara, que ficou gravemente ferido durante o ataque terrorista no metro de Tóquio com gás sarin em 1995, perpetrado pelo culto apocalíptico Aum. O realizador embarca numa viagem íntima com um executivo do culto, Hiroshi Araki, para “registar os caminhos de vida paralelos de uma vítima e de um agressor”.

Quando: Até 7 de março 

Quanto: Bilhetes a 4,5€

Março Delas
créditos: Março Delas

Sábado, 6 de março 

Orquestra Metropolitana de Lisboa 

"Così fan tutte" é a ópera das “peripécias e dos mal-entendidos”. Mas, ao mesmo tempo, é também uma “reflexão filosófica e moral sobre o amor, uma caricatura do sentimentalismo romântico, uma reflexão agridoce sobre a fidelidade das mulheres”, diz a folha de sala. 

Com direção musical do maestro Pedro Amaral, a Orquestra Metropolitana de Lisboa interpretam a música de Mozart em uma versão concerto que fez parte da programação Verão: O Melhor dos Mundos Possíveis.

Quanto: Bilhetes a 5€

Março Delas

Neste ciclo de conversas o foco são as mulheres. Mais especificamente quatro mulheres: as Luísas, as Júlias, as Helenas e as Reginas. 

Até ao final de março, haverá quatro momentos diferentes em que as conversas irão incluir problemáticas como o empreendedorismo feminino e sustentável e a percepção das mulheres migrantes sobre as suas vivências no país.

Neste sábado é o “Dia das Luísas”, com Luísa Mafei, que trocou o palco pela cozinha e hoje tem mais de 70 alunas inscritas no seu curso online Nossa Cozinha Vegana. No final da conversa, haverá ainda um showcooking vegan. Poderá inscrever-se gratuitamente aqui.

Arqueologia da Rua da Saudade
créditos: Museu de Lisboa – Teatro Romano

Domingo, 7 de março 

Arqueologia da Rua da Saudade 

O Museu de Lisboa – Teatro Romano organiza uma visita orientada, em direto, na plataforma Zoom. 

Em 2019, houve uma intervenção arqueológica num edifício da Rua da Saudade que permite aos arqueólogos pensar que existiu um templo próximo ao Teatro Romano de Lisboa e até reconstituir a história do que poderá ter sido um templo romano na antiga cidade de Felicitas Iulia Olisipo. A visita contará com a intervenção dos investigadores que colaboraram na exposição.

Quanto: Bilhete a 3€

Histórias das mulheres do meu país

Segunda-feira, 8 de março

Estreias 

  • Histórias das mulheres do meu país: Inspirado na obra homónima (1948) de Maria Lamas, o filme da realizadora Raquel Freire deu origem a “Histórias das mulheres do meu país”, uma minissérie documental, que se vai estrear na RTP, às 22h45 no Dia Internacional da Mulher. A proposta recupera retratos filmados de mais de uma dezena de mulheres, desde a mulher da limpeza à geneticista, da pescadora à cuidadora informal.
  • "A Rosa de Bombaim": Uma jovem dançarina tenta fugir a um casamento infantil enquanto vive nas ruas de Bombaim, na Índia, onde se vê forçada a escolher entre ajudar a família e encontrar o amor junto de um jovem órfão. Pintada, fotograma a fotograma, e entrelaçada com música, esta animação mostra como uma singela rosa liga três histórias de amor impossível: o amor entre uma rapariga hindu e um rapaz muçulmano, o amor entre duas mulheres e o amor de toda uma cidade para com as suas estrelas de Bollywood. Este filme baseado em acontecimentos reais é realizado por Gitanjali Rao. Estreia na Netflix.

créditos: Ana Mariscal

Terça-feira, 9 de março

Espaço Feminino. Pioneiras – Cervantes online 

Em março, e por ocasião do Dia da Mulher, o programa de cinema online escolhido pelo Instituo Cervantes centra-se em mulheres que se estrearam como realizadoras de cinema entre os anos cinquenta e oitenta, e que foram pioneiras na história do cinema espanhol. Todos os filmes estão disponíveis durante 48h, a partir das 19h00. 

O primeiro filme a estrear será “Segundo López, aventurero urbano” (1952), de Ana Mariscal. A atriz iniciou a sua carreira como realizadora com esta comédia que conta a história de um homem do interior, que após a morte da sua mãe decide vender o modesto negócio da família e vai para Madrid tentar a sua sorte.

Pode consultar toda a programação aqui.

Quando: Até 26 de março

créditos: Mily Possoz

Quarta-feira, 10 de março

Conversa online: Artistas, amigas e cúmplices

Existe no acervo da Biblioteca de Arte um conjunto de livros escritos e ilustrados por mulheres de várias gerações que, de algum modo, têm ficado na sombra dos seus contemporâneos masculinos. 

Publicados nas primeiras três décadas do século XX, são estórias infantis, imaginadas por escritoras como Jane Bensaúde, Ana de Castro Osório, Teresa Leitão de Barros e Fernada de Castro, ilustradas por artistas como Mily Possoz, Sarah Affonso, as irmãs Mamia e Raquel Roque Gameiro e Ofélia Marques, que revelam não só laços de amizade que uniam algumas delas, como também cumplicidades estéticas. 

Nesta conversa com a convidada Emília Ferreira, partindo desses livros, irá falar-se dessas ligações e da atividade criativa destas mulheres. Poderá assistir no Facebook da Fundação Calouste Gulbenkian.

Quando: 10 de março, às 17h00

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.